A serviço da população em situação de rua

[Província de Curitiba – Brasil] A Província de Curitiba, em 2010, por ocasião do Jubileu dos 350 anos de morte dos Fundadores, deu início ao projeto com Pessoas em Situação de Rua. Esta realidade interpela diretamente e diariamente nosso carisma: servir os pobres mais pobres com humildade, simplicidade e gratuidade. A Casa de Acolhida São José é um espaço criado para acolher esta população, que nos ensina a viver de forma radical a passagem do Evangelho: “Eu tive fome e me deste de comer, eu tive sede e me deste de beber, era forasteiro e me acolheste, estava nu e me vestistes” (Mt: 25, 35-36).

 

O espaço da Casa da Acolhida São José foi cuidadosamente montado pela Província e comporta um refeitório, uma área coberta, espaço para atendimento grupal e individualizado, rouparia, local para banho e lavanderia. Ali, diariamente, acolhemos, em média, 70 pobres que se alimentam, tomam banho, lavam suas roupas e calçados, recebem kits de higiene, roupas, calçados e agasalhos. Seguindo nosso Carisma buscamos ser presença de Deus em sua vida e sinais de sua ternura pela maneira com que lhes servimos o pão, procurando vivenciar os ensinamentos de São Vicente de Paulo: “Por teu amor, somente por teu amor os pobres poderão perdoar o pão que lhes ofereces”! Falamos-lhes de Deus, mais do que por palavras, pelo cuidado que temos, na acolhida e escuta, feitas com amor e misericórdia, bem como pelo respeito à liberdade de escolha dessas pessoas fragilizadas. Sentimos Cristo tão presente neles, que o nosso amor se revela no serviço, e o serviço brota de um amor apaixonado que provoca conversão e evangelização. Para conosco os pobres são sensíveis, carinhosos, humanizados, sofridos, gratos, amáveis, exigentes, dóceis e compreensivos. Santa Luísa nos recomenda: “Sede muito afáveis e bondosas com os Pobres, sabeis que são nossos Senhores e Mestres que devemos amar com ternura e respeitar profundamente.” (Carta 322 para irmã Cecilia Inês). Os pobres reconhecem o cuidado que lhe ofertamos, quando os conhecemos e chamamos pelo seu próprio nome. Eles também nos abençoam diariamente ao receber o café ou as roupas: “Deus abençoe Irmã, Deus ajude, Deus conserve que nunca falte…” e estas bênçãos dadas com sinceridade geram afinidade, compromisso e amor.

Irmã Janete Casagrande, uma das Filhas da Caridade que atende na Casa da Acolhida, relata: “Quando sou questionada se existe sentido em oferecer café, banho e roupas limpas para quem vai retornar para a situação de rua, lembro-me de Cristo Filho de Deus que se entregou à morte na cruz, somente por amor para nos resgatar da morte do pecado, gesto que a humanidade não entendeu até hoje – E acrescenta: Estou com esses pobres há cinco anos e sou surpreendida diariamente de forma positiva com experiências interessantes. Estando com os pobres fazemos a experiência do quanto eles nos evangelizam, porque são perseverantes apesar de tanta exclusão, são amáveis e sorridentes, apesar do sofrimento e do abandono, sabem partilhar o pouco que têm e nos ensinam a confiar em Deus. Eles provam que onde está uma Filha da Caridade está presente a Companhia, pois a partir do nosso serviço na Casa de Acolhida, as pessoas de rua em Curitiba, criam relações e vínculos de afeto com todas as Irmãs. Somos reconhecidas e chamadas pelo nome nas ruas por onde passamos.

Com os Pobres percebemos que somos responsáveis por romper essa inexplicável indiferença por esta parcela da população, pessoas quase invisíveis que sofrem o preconceito e a discriminação. Pelo vinculo de cuidado e afeto que temos com eles ajudam-nos a conhecer as estruturas de pecado do mundo, a decifrar os efeitos dos mecanismos perversos que geram maldade, injustiça, exclusão, miséria, marginalização e exploração.

O verdadeiro trabalho com os pobres nos desinstala, questiona, converte e faz confrontar nosso estilo de vida e projetos comunitários com a situação de vida desta população. Faz-nos assumir uma oração mais encarnada e a reconhecer que a graça de Deus é abundante e, é a Ele que nós nos entregamos e confiamos os Pobres. Nossa gratidão à Província de Curitiba, na pessoa de seus Superiores, que nos proporcionaram vivenciar esta experiência através do assumir deste Projeto Provincial.

Ir. Janete Casagrande Província de Curitiba Brasil

This entry was posted in . Bookmark the permalink.
Views: 60