Caminho de São Tiago – Rabé de las Calzadas (Burgos)

[Província Espanha-Norte] Por Rabé de las Calzadas, cidade a 12 km de Burgos, passa o CAMINO DE SANTIAGO, é oferecido ao Peregrino: um albergue onde passa a noite, um bar para tomar o café ou um refrigerante. Durante os meses de Julho e Agosto, o Peregrino encontra a Igreja Paroquial aberta com um guia que fornece várias informações e explicações. Por mais de um século, uma Comunidade de Filhas da Caridade vem prestando diferentes serviços em Rabé e nas cidades vizinhas: escola, internato e externato etc. Atualmente, no Centro “La Milagrosa” existe uma Comunidade de Irmãs aposentadas que atende um grupo de Irmãs idosas com alguma dependência e o Centro de Espiritualidade e Formação, onde  são oferecidos cursos, reflexão e dias de oração, etc. a diferentes grupos de Irmãs e leigos.

Por alguns anos, as Irmãs abertas às novas realidades oferecem aos Peregrinos a possibilidade de participar da oração das Vésperas às 8 horas da tarde. A participação nesta oração com a Comunidade é quase diária, o número varia todos os dias, bem como a sua origem e o idioma de cada um. Quão grande e linda é expressar a fé no mesmo Deus, pessoas de diferentes partes do planeta, com diferentes línguas, unidas a ORAR oferecendo orações de agradecimento, de súplica … para sabemos que está perto de nós e nos ama. Esta experiência reforça a nossa fé pessoal e a oração se torna mais Universal.

No final das vésperas, um pequeno folheto é dado, na sua língua, com a Bênção do PEREGRINO e a Medalha Milagrosa, para acompanhá-los na estrada para Santiago e o caminho da Vida. O acolhimento e a reação são muito diversas; gratidão, emoção, lágrimas … Desejam-lhes um bom descanso e “um BOM CAMINHO” e eles são oferecidos o carimbo para as suas credenciais. Durante anos, as Irmãs amantes da Milagrosa, saíram na estrada e, com o desejo de que Maria acompanhasse cada Peregrino, ofereceram-lhe a Medalha com respeito, confiança e sem desânimo.

Em março de 2017, a Comunidade toma a iniciativa de abrir o Eremitério  de Nossa Senhora do Mosteiro para oferecer uma parada no caminho para o Peregrino quando eles chegam cansados ​​do calor nos dias de verão, um lugar de boas-vindas para desfrutar de um descanso físico, uma reflexão, ou apenas a escuta silenciosa de música de fundo que ambienta o templo. Duas Irmãs estão no Eremitério das 9:00 da manhã a 1:00 p.m. dependendo do afluxo de Peregrinos. De longe, o Peregrino pode ver a porta aberta e muitas pessoas decidem entrar. Com uma saudação agradecida por encontrar este espaço aberto e um silêncio respeitoso, contemplam  o Eremitério, lindamente restaurado, parando no retábulo e pinturas nas paredes laterais. Muitos sentam-se, ou se ajoelham nos bancos e permanecem silenciosamente, mais ou menos tempo, em uma atitude de reflexão ou oração. As reações de alguns são comovedoras  e ante a dificuldade da língua é sempre reconfortante o gesto do abraço sincero e afetuoso.

As Irmãs, na sua simplicidade, acolhem, convidam e oferecem, substituindo a limitação da língua com a linguagem do gesto, a expressão do rosto ou o sorriso e a qualidade das palavras que vão além dos limites da linguagem para o diálogo e a comunicação. À entrada do Eremitério, cada peregrino encontra a história e a origem da Medalha em sua língua, eles a lêem com interesse e valorizam muito. Eles também podem carimbar suas credenciais, eles se maravilham com o peregrino e a Medalha Milagrosa. Alguns testemunhos expressam o que pensam e o que podemos entender: alguns peregrinos que afirmam ser agnósticos reconhecem encontrar Deus na natureza e nos outros “Peregrinos do Caminho”; outro, expressa como o Camino, que ele fez várias vezes, o revive por dentro e acima de tudo quando ele se encontra em uma forma baixa ou algo deprimido. Há peregrinos que, quando são ouvidos e recebidos pessoalmente, comunicam suas experiências de alegria e dor com emoção e gratidão. Canções espontâneas foram ouvidas por profissionais reais como um tenor catalão que cantou a Ave Maria de Schubert ou o casal de Navarra, membros de um coro, que cantou a música “Quem anda no amor, nem cansa nem se cansa”,(São João da Cruz) também em outras línguas, tocaram vários instrumentos, todos foram ouvidos pelo resto dos peregrinos com reconhecimento, admiração e gratidão.

A cada Peregrino se oferece a Medalha Milagrosa, desejando –lhes que a Virgem os acompanhe no Caminho até Santiago e ao longo de suas vidas. A maioria o recebe com respeito, emoção e gratidão.

Agradecemos à Província de Madrid São Vicente pelo apoio dado a este serviço com grande dedicação.  Vai também a Ir. Ana Dignoes, pelo seu domínio de várias línguas e suas qualidades de proximidade ao peregrino, que  tornam tudo mais universal e fraterno.

Views: 2.627