“Semana Comunitária” em San Salvario, Turim – Março de 2015

testimoniascout[Província San Vincenzo-Itália] No começo de março, a comunidade das Filhas da Caridade de San Salvario, em Turim, da Casa Santa Luísa, experimentou algo novo e muito significativo. A Casa Santa Luísa acolhe, todos os dias, pessoas sem-teto para escutá-los, atendê-los e acompanhá-los em seu caminho de redescoberta de sua dignidade e na sua reintegração à vida civil e social. Cada vez mais frequentemente, as Filhas da Caridade têm acolhido jovens que desejam fazer uma experiência de serviço e, assim, permanecem na Casa Santa Luísa por alguns dias ou apenas uma noite a fim de estarem prontos para, de manhã cedo, servirem o café da manhã aos nossos amigos sem-teto.

Um jovem escoteiro que tem realizado seu ano de serviço com o grupo vicentino “Bem-aventurada Nicoli”, parte integrante da Casa Santa Luísa, perguntou à Comunidade se havia alguma possibilidade de conseguir acomodação para uma “Semana Comunitária” do seu grupo. Isso significava receber de 12 a 15 jovens que viveriam lá, sempre indo e vindo, mas estudando, cozinhando, comendo e dormindo na Casa Santa Luísa. Eles iriam compartilhar os lugares de serviço com os sem-teto, especialmente, a cozinha, a despensa e o refeitório. Eles usariam a sala de estar e a biblioteca dos voluntários como um lugar de lazer e formação e o quintal como sala de aula para estudo, considerando as suaves temperaturas naqueles dias!

Aqui está o que os jovens escoteiros escreveram para as Irmãs em sua despedida:

Queridas Irmãs, nós gostaríamos de começar agradecendo-lhes sua disponibilidade em hospedar-nos por uma semana, algo que não é tão óbvio. Prometemos que esta amizade entre Agesci (Associação de Escoteiros Italianos Católicos) e as Irmãs de São Vicente continuará. No futuro, caso concordem, outros grupos, como nós, sempre encontrarão em vocês uma mão aberta e pronta para acolher. A escolha de um lugar para ficar é muito importante e afeta o humor e a emoção de todos os membros do grupo. Como vocês perceberam, a alegria foi o ponto alto dos nossos dias.

Talvez seu exigente trabalho e sua diligência tenham despertado em nós o sentido de serviço e impulsionado alguns a se comprometer mais em suas ações.

Nós queremos agradecer também pela paciência que tiveram conosco, cuidando de nós com atenção como se fôssemos crianças. Seu silêncio contribuiu para tornar esta experiência ainda mais bela. Nós realmente esperamos que outros grupos de escoteiros decidam seguir nosso exemplo, e se tornam parte do Grupo de Voluntários Vicentinos comprometidos com as visitas domiciliares nos sábados à tarde, como nosso grupo Frederico Ozanam fez.

Um abraço,

Grupo Escoteiro Cor Ardens e Mafeking Torino 18 e 40

Views: 1.792