Oração Ecumênica

Preghiera Ecumenica[Província San Vincenzo – Itália] Há alguns anos, no final da semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, a paróquia em Mortegliano, uma comuna perto de Údine (norte da Itália), realiza uma vigília ecumênica de oração, coordenada pelo padre da paróquia e um pastor luterano. Este ano, o tema da semana de oração foi “Dai-me de beber”, versículo do Evangelho de João que conta o encontro de Jesus com a mulher samaritana (Jo 4, 1-42). Na vigília de oração, nós também envolvemos nossos alunos do Ensino Fundamental. A vigília começou com um gesto significativo: um container foi colocado aos pés do altar, lembrando o poço de Jacó, e os dois celebrantes derramaram nele a água de dois jarros. Em seguida, os alunos também derramaram dentro dele a água que trouxeram de suas casas em garrafas. Este gesto representava todo cristão que, apesar de ter “fontes” diferentes, tenta caminhar em unidade. Os alunos também apresentaram três sinais, simbolizando o que une todos os cristãos das diferentes denominações: a Bíblia, símbolo da Palavra de Deus que somos chamados a escutar e anunciar e dá sentido às nossas vidas; o incenso, símbolo da oração que sobe até Deus; um avental, símbolo do mandamento do amor que nos impele a colocar-nos a serviço uns dos outros.

Com estes gestos, nós queremos transmitir aos alunos a importância de buscar o que une ao invés do que divide, e como cada um de nós pode dar uma contribuição pessoal para construir a comunidade cristã. Contudo, estes gestos também refletem nossa realidade como Filhas da Caridade: cada uma de nós tem sua própria experiência, sua maneira de ser, sua personalidade. Apesar de nossa diversidade, nós nos reunimos como Companhia das Filhas da Caridade, chamadas por Deus para nos entregarmos a ele em comunidade para servi-lo nos Pobres. Nós, também, somos chamadas a nos esforçarmos para construir e viver na unidade, que é a harmonização de diferenças, valorizando os dons de cada uma.

O pastor luterano fez comentários muito profundos sobre o Evangelho da mulher samaritana. Ele nos lembrou que toda pessoa precisa beber para viver e isto depende de alguma coisa fora de nós: os seres humanos não são autossuficientes. O diálogo entre Jesus e a Samaritana começa com um mal-entendido; a Samaritana pensa apenas na água material. Jesus, ao contrário, quer dizer algo mais. O mesmo acontece com as pessoas, hoje. Frequentemente, elas tentam satisfazer sua sede com uma água que sacia apenas no momento ou de uma maneira ilusória, como o dinheiro, coisas materiais, sucesso, segurança. A água viva que realmente sacia a profunda sede do coração de um ser humano só pode ser dada por Jesus que está sempre pronto a dá-la. Depende de cada pessoa aceitar o dom e vivê-lo dia após dia. Nós, Filhas da Caridade, somos chamadas a caminhar junto das pessoas sedentas de hoje e a mostrar-lhes a água que sacia plenamente as expectativas dos seus corações.  Entretanto, isto só é possível se nós, primeiro, deixamos Jesus saciar nossa sede todos os dias. A vigília de oração terminou com uma oração pelas Igrejas Cristãs que é apropriada também para as nossas comunidades: “Ó Deus, tornai nossas Igrejas (comunidades) acolhedoras, onde a festa e o perdão, a alegria e a ternura, a força e a fé sejam práticas diárias, alimento cotidiano e avanço em direção a Jesus Cristo. Amém”.

Views: 2.586