Primeiro Encontro de Irmãs Serventes da Ásia

[Tailândia] O Primeiro Encontro de Irmãs Serventes da Ásia (ASSE 1) aconteceu na Casa de Retiro Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, em Chachengsao, na Tailândia. A casa, propriedade das Irmãs de São Paulo de Chartres, tem uma capela que é uma réplica da nossa própria capela da Casa Mãe, em Paris. Ela nos ajudou a criar um ambiente propício à sessão que aconteceu de 2-11 de março com o tema: “Irmã Servente… Deixemo-nos transformar pelo Espírito, Fonte de Profecia e Esperança”.

Participaram um total de 56 pessoas de 8 Províncias (China, Índia Norte, Índia Sul, Indonésia, Japão, Filipinas, Tailândia e Vietnã) e 6 membros da Comissão Preparatória Local. Ir. Evelyne Franc, Superiora Geral, Pe. Patrick Griffin, Diretor Geral e Ir. Madeline Hara, Conselheira Geral para Ásia nos honraram com sua presença neste encontro histórico.

     

VER – significa VER com os olhos, ENTENDER com a mente, COMPREENDER com o coração. Nós reconhecemos, em nossas diferentes situações e experiências, um desejo comum de sermos fiéis, uma luta comum em nossas maneiras de animação e supervisão, uma sensação de estar em casa com a comida, linguagem e cultura, um laço enraizado no amor e na pertença ao nosso carisma e um amor profundo a Companhia que nos une.

JULGAR – significa REFLETIR em nossos CORAÇÕES, CONTEMPLAR e PONDERAR na ORAÇÃO, para DISCERNIR A VONTADE DE DEUS.

A 1ª Conferência de Irmã Evelyne: A Companhia e cada uma de nós – convidou-nos a um amor maior e mais profundo por nossa vocação e pela Companhia. Em sua segunda conferência sobre nosso novo GUIA para Irmãs Serventes, Irmã Evelyne ressaltou a importância da missão da Irmã Servente e como sua formação é uma grande preocupação desde o início da Companhia.

Pe. Patrick usou a imagem bíblica do lava-pés: “… nós fazemos o que fazemos não para cumprir a regra ou a lei, mas por amor. Estamos ligados não por exigências legais, mas por laços de cuidado com o outro. Colocamos o outro em primeiro lugar, e assim, nos abrimos às suas necessidades e desejos. Fazemos isso em toda nossa vida, diariamente, ao Senhor. Fazemos isso por nossas Irmãs, na Comunidade, como suas servas…”

As sessões de aprofundamento de Ir. Madeline nos forneceu referências a partir dos Documentos da Companhia e apresentou as bases nas quais nossas convicções estão alicerçadas.

AGIR – significa COLOCAR EM PRÁTICA O QUE FOI DISCERNIDO COMO VONTADE DE DEUS.

Em NÍVEL PESSOAL: O que percebi em mim mesma como IRMÃ e SERVA? Tenho levado os dons da HOSPITALIDADE e do SERVIÇO às minhas Irmãs?

Em NÍVEL PROVINCIAL: Quais são os meios concretos que podemos usar para intensificar e desenvolver:

1. A COMUNICAÇÃO, SUPERVISÃO E RESPONSABILIDADE:

A. Entre a Visitadora e as Irmãs Serventes?

B. Entre as Irmãs Serventes e as Companheiras?

2. FORMAÇÃO CONTÍNUA das Irmãs Serventes?

O primeiro Encontro das Irmãs Serventes de Ásia foi histórico e muito significativo que confirmou, incondicionalmente e sem reservas, a missão essencial e o papel da Irmã Servente na comunidade local, na Província e na Companhia. Tanto para as Irmãs Serventes quanto para as Visitadoras presentes no encontro, ficou claro quem somo nós – nossa IDENTIDADE – nossas ORIGENS determinam como devem ser: nossas decisões, nosso estilo de vida e nosso serviço.

“… uma tentativa de renovação ou de adaptação que não tivesse como ponto de partida o desejo de enfatizar o espírito de nossa origem estaria condenada ao fracasso.”

Ir. Suzanne Guillemin, 1 de janeiro de 1965

Preparado por:

Irmã Maria Teresa Mueda, FC (Visitadora da Província das Filipinas) e Irmã Violeta Cecilio, FC (Província da Tailândia).

Views: 1.501