15 de Agosto

No dia 15 de Agosto a Igreja Católica celebra a grandiose festa mariana: Assunção da Virgem Santa Maria.Por esta ocasião gostaríamos de oferecer-vos uma meditação no Dogma da nossa fé, que foi tema de oração e espiritualidade de Santa Luísa de Marillac. Como suas Filhas, encontramos sua “alma Mariana” nos seus escritos assim como nas constituições.

Maria, “sinal de consolação e de esperança para o povo”

–– Quem procura seguir Jesus Cristo, encontra Aquela que o recebeu do Pai. Maria, a primeira Cristã, a consagrada por excelência, resente na vida da Companhia desde o princípio (C.15). As Filhas da Caridade consideram Maria como mestra de vida Espiritual(…)”Contemplam-na para, a seu exemplo, fazer da própria vida um culto a Deus e desse culto, um compromisso de vida”(C.23). Celebram as festas marianas com devoção. (E.7)

Pergunto-me: Celebro as festas de Maria com devoção? Considero realmente a ela como modelo e Mestra da minha vida Espiritual?

“ Bendita sejais, Maria, pela escolha que Deus fez de vós para unir em vosso seio a natureza humana à divindade.

Bendita sejais, Maria, começo da luz que o filho de Deus devia trazer à terra.

Bendita sejais, Maria, em vosso seio se realizou a união amorosa do verbo de Deus com o homem.”

Avé Maria… 


–– Deus munificentíssimo, que tudo pode, e cujos planos de providência são cheios de sabedoria e de amor, nos seus imperscrutáveis desígnios, entremeia na vida os povos e dos indivíduos as dores com as alegrias, para que por diversos caminhos e de várias maneiras tudo coopere para o bem dos que o amam. (Munificentissimus Deus 1)

E assim sucede que, por um lado, a santíssima Virgem desempenha amorosamente a sua missão de mãe para com os que foram remidos pelo sangue de Cristo, e por outro, as inteligências e os corações dos filhos são estimulados a uma mais profunda e diligente contemplação dos seus privilégios. (MD 2)

A festa da Assunção leva Luísa de Marillac a meditar, de novo, na beleza da Mãe de Deus. „No dia 15 de Agosto de 1659, a minha ocupação durante a santa Missa, em que devia comungar, foi a grandeza da Santíssima Virgem, Mãe do Filho de Deus”. Luísa prossegue a sua meditação descobrindo a nobreza humana que Cristo veio divinizar e que honra, acolhendo no céu Maria em corpo e alma.

„Observei ainda que, por este  meio, o filho de Deus gerou, de certo modo, a natureza humana para a eternidade, tornando-a capaz de gozar de Deus durante ela, conforme os seus desígnios, que me pareceram tão grandes no céu”.

Questiono-me: Será que “leio“os acontecimentos da minha vida à luz da Fé, convicta de que todas” as coisas podem concorrer para o bem para aqueles que o amam”?

“Bendita sejais, Maria, eis-vos Mãe de um Deus, e, apesar disso não saís de vossa pequenez e pobreza. Bendita sejais. Bendita sejais, Maria, canal por onde nos são comunicadas todas as graças da Incarnação.

Bendita sejais, Maria, obra-prima da omnipotência divina na natureza puramente humana”.

Avé Maria…


 –– A Assunção de Maria convida a descobrir a dignidade de todo o homem, seja qual for a sua miséria, pobreza, degradação. Honrar Maria será, para a filha da Caridade, empenhar-se ainda com mais amor no seu serviço, o que supõe ter uma profunda vida espiritual.

É de Maria, a Mãe de Deus, escolhida por Luísa de Marillac como Mãe da Companhia, que as Filhas da Caridade aprenderão a servir com humildade, caridade e simplicidade os pobres, aqueles que Cristo ama com amor preferencial.

Questiono-me: de que modo, circunstâncias, sinto-me convidada a descobrir a dignidade de cada pessoa que encontro? Cuido da minha vida Espiritual para oferecer grande amor no meu serviço diário?

“Bendita sejais, Maria, a vossa humildade vos tornava constantemente presente o que Deus realizava em vós e o que vós éreis n’Ele. Bendita sejais

Bendita sejais, Maria, vós sois ao mesmo tempo Mãe dum Deus e Mãe dum homem.

Bendita sejais, Maria, porque o vosso coração está pleno de amor.”

Avé Maria…


–– (…) a augustíssima Mãe de Deus, associada a Jesus Cristo de modo insondável desde toda a eternidade “com um único decreto” de predestinação, imaculada na sua concepção, sempre virgem, na sua maternidade divina, generosa companheira do divino Redentor que obteve triunfo completo sobre o pecado e suas conseqüências, alcançou por fim, como suprema coroa dos seus privilégios, que fosse preservada da corrupção do sepulcro, e que, à semelhança do seu divino Filho, vencida a morte, fosse levada em corpo e alma ao céu, onde refulge como Rainha à direita do seu Filho, Rei imortal dos séculos.  (MD 40)

“Suplico a Nosso Senhor…que tenhais hoje acompanhado a Santíssima Virgem na sua morte, meditando o sacrifício voluntário que podeis ter-lhe oferecido, de morrer para vós mesmas, para viver só para Deus, cumprindo, no resto dos vossos dias, a sua santíssima vontade.” (LM)

Questiono-me: nas minhas escolhas diárias, planos, esperanças, será que penso no meu ultimo destino, plano de amor de Deus por ter-me como seu filho-com Ele nos céus?

“Bendita sejais, Maria, que amaste tão perfeitamente os efeitos da amorosa vontade de Deus. Bendita sejais.

Bendita sejais, Maria, por todas as almas resgatadas pelo sangue do filho de Deus e vosso.

Bendita sejais, Maria, filha bem amada do pai, Mãe do filho e digna esposa do Espírito Santo”.

Avé Maria…


A Assunção de Maria é o cumprimento da Profecia no Magníficat.”Deus exaltou o humilde”e a chamada de Jesus:  “Aprendei de mim que sou humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas.” (Mt. 11: 29). Ela é sinal de Esperança! ( Ir Evelyne Franc, 15.08.2007

Gloria ao Pai…

 

___________________________________________________________

Destaque – Arquivo