Serviço aos Idosos

Atualmente, na Itália, os idosos não querem ir para casas de repouso, mas preferem permanecer em suas casas, com a ajuda de um cuidador(a) enviado pela assistência sanitária pública ou com a ajuda de enfermeiros e badantes (imigrantes, em sua maioria da Europa Oriental) contratados para cuidar de idosos. Até algum tempo atrás, os idosos, ainda independentes, solicitavam uma vaga nas casas de repouso e a equipe do local organizava seu tempo de diversão, terapia, descanso, etc. Hoje, a maior parte dos internos são doentes terminais ou idosos que não têm mais condições de cuidarem de si mesmos. São novos crucificados em suas cadeiras de rodas, ou deitados na cama, ou sofrem de Alzheimer sem se dar conta do que acontece em suas vidas. Vemos Cristo neles porque estão perto do final de suas vidas, imobilizados e são considerados pessoas de pouco valor já que não podem pensar por eles mesmos, totalmente dependentes e abandonados por todos.

Os idosos precisam de apoio, cuidados, compreensão, relações tranquilas, pois, frequentemente, são rejeitados e marginalizados pela sociedade. As Filhas da Caridade, diante desta dramática tendência do nosso tempo, organizaram os Centros de Convivência, onde os idosos são cuidados durante o dia e, à tarde, voltam para sua casa. É como uma assistência a domicílio que rompe a tragédia da solidão sem esperança.

As Filhas da Caridade, seguindo os ensinamentos dos seus Fundadores, procuram aliviar o sofrimento das pessoas com disponibilidade, acolhida, capacidade de escuta, proximidade, delicadeza, curando as feridas da solidão e da separação, oferecendo-lhes o apoio necessário para enfrentar com coragem a vida. Ninguém é supérfluo ou estéril. Deus quer que todos os talentos sejam valorizados e que a diversidade contribua para o enriquecimento de todos. As Filhas da Caridade se dedicam a descobrir novas maneiras de inserção ativa e responsável dos idosos porque eles são uma parte essencial da comunidade e também da vida da Igreja.