Lugar da Aurora

www.ahomefordawn.org

Meu nome é Irmã Michelle Loisel e sou a diretora de um abrigo e programa terapêutico para mulheres americanas e estrangeiras que foram vítimas do tráfico de pessoas para exploração sexual. O Lugar da Aurora (Dawn’s Place) é na Filadélfia, nos Estados Unidos. O nome “dawn” foi escolhido porque significa “o começo de um novo dia” (aurora).

Frequentemente, o tráfico sexual é visto como algo que acontece com estrangeiras, meninas menores de idade que são vendidas como escravas para a prostituição. A imprensa americana, frequentemente, mostra jovens de sapato alto e vestidos provocativos paradas nas esquinas como pessoas que querem se prostituir. A verdade está bem longe desta realidade. Muitas dessas jovens e mulheres são violentamente controladas por cafetões e traficantes de sexo que lhes dão pouca escolha. Muitas entram na prostituição entre 12 e 14 anos ou até antes. O tráfico de sexo nos Estados Unidos é tão real como na Tailândia, Itália ou em outro lugar.

O tráfico é um problema mundial. As Nações Unidas estimam que 2,4 milhões de pessoas são vítimas do tráfico a qualquer hora. 80% delas são traficadas para exploração sexual e 17% para o trabalho escravo. Duas de cada três vítimas são mulheres. Apenas uma de cada 100 vítimas do tráfico é resgatada. As causas mais profundas do tráfico são a pobreza, a violência contra a mulher, a guerra e conflitos políticos. É a indústria criminal que cresce mais rápido no mundo.

O Lugar da Aurora tenta oferece um lugar seguro para diminuir o sofrimento que o tráfico de sexo levou para a vida de meninas e mulheres. A eficácia do Lugar da Aurora é evidente nos laços de compaixão e de profundo carinho que as mulheres formam, mesmo quando elas não têm a mesma língua, cultura ou não pertencem à mesma etnia. O programa residencial trabalha para proporcionar o “começo de um novo dia” para essas mulheres através do aconselhamento, de um ambiente acolhedor e oferecendo educação e treinamento profissional. As mulheres são ajudadas a compreender o ciclo que resultou na exploração sexual sofrida. Com ajuda, elas são capazes de sair da pobreza e superar o abuso sofrido.

Minha experiência de enfermagem em diferentes países em conflito e minha formação como orientadora espiritual têm me ajudado a compreender o trauma dos escravos dos tempos modernos. Elas são enviadas para nós para começarem um processo de cura e se recuperarem de sua experiência de traumas físicos e de sofrimento emocional e mental associados com a perda de controle da própria vida.

Sinto-me abençoada por ter sido enviada pela Companhia para esta missão, pois estou a serviço de mulheres que foram desprovidas de seus direitos humanos e reduzidas a um objeto que é comprado e vendido.

Há muitos desafios neste serviço. No entanto, eu retiro minha força das nossas Constituições. Lemos na C.24e: “Comprometem-se a trabalhar no plano social para mudar as estruturas que geram a pobreza”. E no Estatuto 8c: “Pronunciam-se abertamente pelo respeito e a defesa da vida humana em todas as suas fases. (…) Denunciam as situações que exploram e excluem as pessoas”. Realmente, a caridade de Cristo crucificado nos impele tanto ao serviço quanto a defesa destas mulheres!

Oração: Jesus, ajude-me a ver como tu vês. Quando eu olhar em seus olhos, que eu veja o teu sofrimento e agonia. Ajude-me a retirá-las de sua cruz e a dar-lhes seu amor para alimentá-las e devolver-lhes sua dignidade. Ajude-me a percorrer com elas a longa estrada da recuperação. Que elas comecem a acreditar em si mesmas e no seu amor. Ajude-as a desenvolver coragem e fé para começar uma nova vida de confiança e liberdade. Sabemos que isto pode acontecer em sua presença, na sua hora e com a sua graça. Amém.