A Força da Fé: As Mártires na Revolução Francesa

angers-2

“Nossa vocação, portanto, é ir, não só a uma paróquia, nem só a uma diocese, mas por toda a terra, e para fazer o quê? Abrasar os corações dos homens, fazer o que o Filho de Deus fez, ele que veio incendiar o mundo para inflamá-lo de seu amor.”  (SV XII, 261)

Nós lemos na Encíclica Lumen Fidei, n. 16: “E, todavia, é precisamente na contemplação da morte de Jesus que a fé se reforça e recebe uma luz fulgurante, é quando ela se revela como fé no seu amor inabalável por nós, que é capaz de penetrar na morte para nos salvar. Neste amor que não se subtraiu à morte para manifestar quanto me ama, é possível crer; a sua totalidade vence toda e qualquer suspeita e permite confiar-nos plenamente a Cristo.”.

arras-1Ao longo dos séculos, membros da Família Vicentina viveram sua fé plenamente mesmo custando suas vidas. Eles deram testemunho de Cristo, que deu sua vida para que nós pudéssemos viver. Sua fé era tão firme, que eles estavam dispostos a entregar suas vidas ao invés de traí-la. Na época da Revolução Francesa, as Filhas da Caridade fizeram tudo que puderam para continuar a cuidar dos pobres. Em Angers, Dax e Arras, Irmãs se recusaram a prestar o juramento de Liberdade-Igualdade e isso as levou ao martírio. Cada história é diferente, mas todas são muito inspiradoras! Veja: As Irmãs Mártires, Dax, Angers e Arras