Zafèn, um Projeto no e para o Haiti

Zafen 1

O Papa Francisco escolheu como tema para a Mensagem para a Quaresma deste ano “Fez-se pobre, para nos enriquecer com a sua pobreza”.

Na coletiva de imprensa sobre a mensagem do Papa para a Quaresma, o foco foi o Haiti. Um casal italiano, com duas crianças e missionários enviados pela Caritas italiana após o terremoto no país caribenho, falou na coletiva de imprensa no Vaticano junto com dois membros importantes do Conselho Pontifício Cor Unum, responsável pelas doações para a caridade. Em março, o Presidente do Cor Unum irá ao Haiti para inaugurar uma escola em nome do Santo Padre. De acordo com o Bando Mundial, o Haiti é o país mais pobre do Ocidente e ainda luta pela sua reconstrução quatro anos depois de ser atingido por um terremoto devastador, em janeiro de 2010.

A Família Vicentina está trabalhando para o desenvolvimento do povo haitiano através do Zafèn, projeto fundado por quatro organizações: a Família Vicentina Internacional, um grupo de pessoas de vários países e membros de organizações inspiradas no legado de São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac; a Universidade DePaul, em Chicago, a maior universidade católica dos EUA; Fonkoze, um banco alternativo do Haiti para os pobres e que tem mais de 200.000 clientes; e o Haitian Hometown Associations Resource Group, que permite que a diáspora haitiana promova o crescimento econômico e social para aliviar a pobreza em suas comunidades nativas. Zafèn é uma fonte de financiamento para o crescimento dos negócios e projetos sociais haitianos, que não se qualificam para empréstimos bancários tradicionais e, de outra forma, não teriam acesso ao capital. Seus objetivos são:

1) Permitir que pequenas e médias empresas haitianas expandam seus negócios, criem empregos e transformem sua economia, enquanto constroem um histórico de crédito por meio de empréstimos sem juros.

2) Apoiar projetos de educação e de melhoria da comunidade através de doações.

Zafèn, que significa “É da nossa conta” em crioulo haitiano, foi criado para estimular a colaboração entre os proprietários de negócios baseados no Haiti, a diáspora haitiana e as pessoas, de qualquer lugar, interessadas ​​em desenvolver a economia deste país. Zafèn cumpre sua missão através da apresentação ao público de negócios e projetos que foram selecionados por sua viabilidade e possibilidade de contribuir para o fortalecimento do potencial econômico do Haiti. As diligências necessárias são conduzidas por analistas de negócios que trabalham para Fonkoze, um banco alternativo para os pobres, com escritórios em todo o Haiti. Os analistas submetem as propostas a uma comissão, que inclui representantes dos parceiros da Zafèn, para uma avaliação final. Os projetos aprovados são postados em zafen.org para atrair financiamento. Os usuários do Zafèn podem selecionar o negócio ou projeto que querem apoiar e fazer empréstimos ou doações tão pequenas quanto $ 25.

As doações são disponibilizadas ao beneficiário no prazo de duas semanas após os fundos serem transferidos. Dentro de um mês, o analista de negócios visita o projeto para garantir que o dinheiro foi gasto como designado. Uma atualização é, então, publicada na página do projeto, zafen.org. Os donos de empresas têm 12 meses para pagar o empréstimo em parcelas mensais. Embora a probabilidade de reembolso seja um dos critérios para que o projeto seja selecionado, o credor assume todos os riscos ao fazer o empréstimo.

Os empréstimos estão ajudando pessoas nos projetos e negócios no Haiti e para o povo haitiano, e não aplicações financeiras. Nem o credor, nem Zafèn podem ter qualquer lucro financeiro sobre os empréstimos, e alguns dos empréstimos podem não ser reembolsados​​. Mas os benefícios da generosidade para o desenvolvimento do Haiti e o povo haitiano não conhecem limites.

O Haiti é um país rico em cultura, calor humano e espírito empreendedor. Isto é evidente na diversidade de empresas e projetos que buscam financiamento do Zafèn. Eles incluem iniciativas agrícolas, varejo e educação, todos projetados para melhorar suas comunidades, desbloquear o potencial humano, e promover o desenvolvimento econômico sustentável.

“Possa este tempo de Quaresma encontrar a Igreja inteira pronta e solícita para testemunhar, a quantos vivem na miséria material, moral e espiritual, a mensagem evangélica, que se resume no anúncio do amor do Pai misericordioso, pronto a abraçar em Cristo toda a pessoa. E poderemos fazê-lo na medida em que estivermos configurados com Cristo, que se fez pobre e nos enriqueceu com a sua pobreza” (Mensagem do Papa Francisco para a Quaresma).