“JUBILEU DE OURO” (PROVÍNCIA DA NIGÉRIA)

“JUBILEU DE OURO”

FILHAS DA CARIDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO

PROVÍNCIA DA NIGÉRIA, 1963 – 2013

nigeria 1

Preâmbulo

As Filhas da Caridade celebram 50 anos de fidelidade a Deus no serviço aos Pobres, na Nigéria!

Durante cinquenta anos dourados no solo nigeriano
Nós temos trabalhado crescendo de vento em popa.
Louvor Àquele que nos trouxe até aqui
Cujo amor faz crescer asas no cansaço
Traz esperança aos desencorajados.

Este foi o refrão do Hino do Jubileu composto por Filhas da Caridade nigerianas e cantado de 29 de novembro de 2012 a 29 de novembro de 2013, lembrando nossos Fundadores, cujo temperamento e talentos elevaram nosso espírito, lembrando nossas primeiras Irmãs que chegaram à Nigéria, num mundo de pobreza, violência e dor, para amar e servir a Cristo nos pobres.

As três Filhas da Caridade, Ir. Gabriel Hughes (falecida), Ir. Catherine Gaynor e Ir. Alice Daly chegaram à Nigéria em 29 de setembro de 1964, vindas da Província da Grã-Bretanha e da Irlanda. Elas abriram uma escola doméstica e comercial para meninas e mulheres; foi assim que nasceu a famosa Escola Comercial Secundária Adiaha Obong. A comunidade “Adiaha Obong” se tornou a primeira casa das Filhas da Caridade na Nigéria. Em 15 de março de 1947, as primeiras jovens nigerianas a entrarem para as Filhas da Caridade foram incorporadas na Companhia. Eram elas Ir. Justina Arima, Ir. Philomena Okwu e Ir. Theresa Madu. A partir de então, sempre houve constante admissão de jovens mulheres da Nigéria e, recentemente, de Gana também, na Companhia.

A Celebração do Jubileu de Ouro é marcada pela fidelidade de Deus às suas Filhas que Ele convidou para servi-lo no serviço dos pobres. A celebração durou um ano e contou com várias atividades que incluíram:

A abertura do Ano do Jubileu de Ouro: (29 de novembro de 2012 em Adiaha Obong, Uyo, primeira casa das Filhas da Caridade na Nigéria). Durante esta celebração a tão sonhada Associação dos Amigos das Filhas da Caridade foi inaugurada. Ela é formada por homens e mulheres que, voluntariamente, oferecem sua assistência moral e financeira às Filhas da Caridade em seu serviço aos pobres. Os membros vêm de todo o país.

Criando consciência: O estágio preparatório foi usado para disseminar informação referente à vida e às obras das Filhas da Caridade; foram feitos apelos, especialmente, para o projeto do Jubileu que é construir um Centro de Educação Inclusiva para Pessoas com e sem deficiência. A resposta foi generosa!

Oficinas Preparatórias:

  • “Justiça, Paz e Colaboração” orientada por Ir. Bernadette MacMahon, FC.
  • “Nossos Fundadores no Jubileu”: orientada pelo Pe. Urban Osuji, CM.

Tríduo: foram organizados três dias de celebração para marcar o encerramento do Jubileu:

  • 27 de novembro de 2013: Festa de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa / Serviço da Reconciliação
  • 28 de novembro de 2013: Festa de Santa Catarina Labouré
  • 29 de novembro de 2013: Encerramento Solene

A alegria do jubileu foi ver os nossos amigos que são pobres, aqueles para quem nós existimos serem o centro das atenções. Eles participaram tanto das atividades sociais quanto espirituais. Nossos colaboradores de diferentes contextos estavam presentes: representantes de agências, representantes da Igreja, de ONG’s e Embaixadas, Arcebispos e Bispos, sacerdotes, religiosos, fiéis leigos, jornalistas, associações, indivíduos, amigos e simpatizantes. Foi, de fato, um momento glorioso e todos gostaram da festa. A construção de uma Escola Inclusiva em Etche, no estado de Rivers, projeto do Jubileu de Ouro, foi muito apoiada por nossos convidados por meio de doações e promessas.

Nós somos convidadas, nas palavras de São Vicente, a voltarmos às nossas raízes. O jubileu é uma ótima oportunidade para renovar a nossa vida de oração, de comunidade e serviço. A celebração do 50º aniversário da fundação das Filhas da Caridade, na Nigéria, no dia 29 de novembro de 2013, coincidiu com o 380º aniversário da fundação da Companhia na França, em 29 de novembro 1633. À luz disto, a Nigéria ainda é jovem, embora, agora, uma adulta de 50 anos, que já começou a gerar filhos!

Conclusão

Depois de tudo isso, o que podemos dizer? Glória a Ele, cujo poder de trabalho em nós pode fazer infinitamente mais do que podemos ousar pedir ou pensar. Glória a Ele na Igreja e em Cristo Jesus, para todo o sempre. Amém!