Programa de Ação Colaborativa da Família Vicentina

vfcap

O Programa de Ação Colaborativa da Família Vicentina é a primeira iniciativa deste tipo que oferece formação teórica e prática sobre como diferentes membros da Família Vicentina podem trabalhar juntos de maneira mais efetiva.

Mais de 50 membros da Família Vicentina, de 24 países diferentes, se reuniram na Casa Mãe da Congregação da Missão, em Paris, para participar do Programa de Ação Colaborativa da Família Vicentina (VFCAP) de 8-13 de junho de 2014. Criado pela Comissão de Colaboração da Família Vicentina, o programa responde à necessidade de maneiras mais inovadoras para comprometer os ramos da Família Vicentina e encorajá-los a trabalhar juntos em nível local, regional e global a fim de transformar a vida dos pobres. O programa procura não somente cultivar e desenvolver a espiritualidade vicentina e as qualidades de liderança nos participantes, mas também oferecer uma experiência tangível de colaboração, por exemplo, como o carisma vicentino está vivo hoje e pode ser projetado no futuro.

O piloto do VFCAP aconteceu em maio de 2013 e teve a participação de 36 pessoas de 18 países de língua inglesa, com 14 ramos da Família Vicentina representados. Os participantes vieram da América do Norte, Europa, Ásia, África e Austrália. Os ramos representados incluíam a Congregação da Missão, as Filhas da Caridade, as Irmãs de Caridade, a Sociedade de São Vicente de Paulo, a Juventude Mariana Vicentina, os Missionários Leigos Vicentinos (MISEVI), a Universidade St. John (Nova Iorque), All Hallows College (Irlanda) e a Associação Internacional de Caridades (AIC).

trainingDevido ao impressionante sucesso do programa piloto, o VFCAP realizou um programa em junho de 2014. As aulas foram dadas em inglês, com tradução para espanhol, francês e português. Os participantes vieram de ramos vicentinos presentes na América do Norte, América do Sul, América Central, Europa, Ásia e África. Os participantes deste ano foram encarregados de adaptar o programa para sua respectiva língua e cultura com o objetivo de transmiti-lo em suas regiões.

A equipe do projeto VFCAP é liderada pelo Pe. Joseph Agostino, CM, Coordenador Internacional de Projetos Especiais para o Superior Geral e Coordenador da Comissão de Colaboração da Família Vicentina. Os outros membros da equipe vêm das cinco Universidades Vicentinas, da Companhia das Filhas da Caridade, da Sociedade de São Vicente de Paulo e da Congregação da Missão.

Griffin pilgrimagesEm colaboração com a equipe do projeto, Pe. Patrick Griffin, CM, abriu o programa apresentando os principais fundadores da tradição Vicentina, ou carisma, e partilhando suas colaborações que alcançaram êxito. Então, ele levou o grupo para um tour vicentino, a Saint Laurent e Saint Lazare, os respectivos lugares de nascimento das Filhas da Caridade e da Congregação da Missão. A Sra. Vivian, junto com os outros membros da equipe do projeto, ajudaram na condução do programa, que durou uma semana e culminou com uma cerimônia de formatura, em Clichy, presidida pelo Pe. Gregory Gay, CM, Superior Geral.

A seguir, apresentamos os resultados do VFCAP para os participantes do programa:

  • Enraizamento na tradição Vicentina de colaboração.
  • Crescimento no apreço pela riqueza de nossa tradição tal como ela é vivida por todos os ramos da Família Vicentina.
  • Compreensão de que as cinco virtudes características de Vicente são padrões de comportamento que orientam nossos relacionamentos com os outros e os pobres.
  • Reconhecimento da importância da disciplina da contemplação em suas vidas diárias a fim de que possam realmente ver o Cristo no rosto dos pobres.
  • Identificação e evocação dos seus dons pessoais e também dos dons das outras pessoas.
  • Compreensão de que os Vicentinos escolhem agir em colaboração para construir relacionamentos dentro da Família Vicentina (e também além dela) que nos ajudem a realizar nossa visão comum.
  • Início do desenvolvimento e da prática do conjunto de habilidades necessárias para serem colaboradores eficazes em seu serviço.
  • Percepção do potencial internacional da Família Vicentina para ajudar pessoas e comunidades a saírem da pobreza.
  • Motivação para convidar outras pessoas a colaborarem e para criar novas oportunidades de mudança de estruturas.
  • Reconhecimento de que a colaboração e a mudança de estruturas são processos contínuos de conversão.
  • Através da criação de planos de ação, comprometer-se numa transformação pessoal para se tornar melhores colaboradores.
  • Aplicação das habilidades aprendidas em experiências atuais de colaboração com a Família Vicentina e a sociedade num contexto mais amplo. Os participantes foram desafiados não a fazer mais coisas, mas a trabalhar mais eficazmente com e para os pobres.

Adaptado do site da Universidade St. John, Nova Iorque