A JORNADA DE ESPERANÇA PARA A FAMÍLIA DE AHMED

Focus_June_16_01Por ocasião do Jubileu da Misericórdia, as Filhas da Caridade da Província da Sardenha responderam ao apelo do  Papa Francisco que fez às paróquias, comunidades religiosas, mosteiros e santuários de toda a Europa para expressar a concretude do Evangelho e acolher uma família de refugiados. A Superiora Geral incentivou as províncias da Europa para ter em conta o apelo do Papa Francisco, que está em sintonia com o carisma da Companhia. Vigilantes e atentas aos sinais dos tempos, para discernir e denunciar as causas profundas da pobreza, considerando a urgência das novas pobrezas, somos chamados a dar respostas eficazes, intrépidas mesmo arriscadas  que exigem a audácia da caridade (Documento inter assembleia página 15).

Face  à tragédia das dezenas de milhares de refugiados que escapam da morte pela guerra ou fome, no caminho para a esperança de vida, o Evangelho, a Igreja e a Sociedade desafiam-nos, para ser “próximos” do menor e dos mais abandonados . Nosso desejo é dar aos refugiados “uma esperança concreta” e testemunhar  as pessoas que, por ajudar e apoiar estas famílias têm a oportunidade de crescer e superar a pobreza.

Focus_June_16_02A jornada de esperança para a família de Ahmed começou no dia 18 de fevereiro, quando, para ele, sua esposa Aysha e seu filho pequeno Omar, as Filhas da Caridade abriram a porta. Neste momento Ahmed percebeu que, eventualmente, uma nova vida poderia ser possível tão longe de seu país. Agora que há também Khadija, com  apenas 15 dias de idade, os sorrisos nos rostos de mãe (31 anos) e o pai (36) são preenchidos com a esperança de um “novo” futuro neste país que agora parece menos estrangeiros de dez meses atrás, quando eles desembarcaram. Embora não tenha sido “o sonho da Europa” para empurrá-los para Cagliari (Sardenha).

Focus_June_16_04Providência quis que na via dei Falconi – “Mater Nostra” Casa Provincial das Filhas da Caridade de Sardenha – fosse um apartamento vazio, onde, anteriormente, o ex-arcebispo Giuseppe Mani tinha sido hospedado. É neste apartamento, onde, por alguns meses, vive a família de Ahmed, os refugiados originários do Gana que fugiram da Líbia, a bordo de uma jangada, por causa da guerra. Em Trípoli, Ahmed tinha um emprego e sua família vivia bem, mas eles fugiram por causa do medo da guerra! Neste momento estamos a ajudar a família de Ahmed para encontrar o seu lugar e aculturar em nossa sociedade; o pequeno  Omar já está participando de nosso jardim de infância. Além disso, estamos criando uma rede de amigos e colaboradores que dão origem à possibilidade de um trabalho para Ahmed e sua esposa.

Focus_June_16_03Este projecto abrigo, querido e promovido por todas as comunidades locais das Filhas da Caridade da Sardenha, está sendo realizado em conjunto com a Cáritas por um período de seis meses, renováveis por mais seis meses.

Como o Papa Francisco  diz: “A caridade é contagiosa, apaixonada, e envolve riscos”! Na verdade, entretanto outras duas famílias foram recebidas em outras duas comunidades locais. Uma família nigeriana é bem-vinda em Quartu Sant’Elena e a outra família de Gana é bem-vinda em Sassari, na Casa Santa Luisa.

Em nossa Província, estamos tentando viver o que o nosso documento  Inter assembleia  sugere: permanecer em Cristo, amar, servir e viver com aqueles que são mais pobres e juntas para sairmos ás periferias do mundo. Que a nossa paixão por Cristo e os pobres sempre guiem as  nossas atitudes e escolhas.

Filhas da Caridade da Província da Sardenha

Parcialmente tomada de Unione Sarda