O Carisma de São Vicente – Caridade e Serviço

Anniversary 2

O Carisma de São Vicente – Caridade e Serviço

Vicente, encontrou a sua missão com “o primeiro sermão da missão”. Não conhecia então as conseqüências do seu compromisso ainda visíveis nos nossos dias. {…} Preocupa-se em anunciar de preferência o centro da doutrina da fé e do amor. Ele é o homem da bondade de Cristo que age que transborda da misericórdia do Pai.O primeiro testemunho de São Vicente é o do amor. A sua vida não é mais que amor e pode-se resumir naquilo que ele próprio diz de Cristo: “As suas humilhações não eram senão amor, seu trabalho amor, os seus sofrimentos amor, as suas orações amor e todas as operações interiores e exteriores eram actos reiterados de amor”. São Vicente define o amor que Deus nos tem e que nós Lhe devemos testemunhar. Deus ama-nos. Nunca duvida de nós e diz-nos claramente, com palavras familiares: “Ora bem, Deus seja louvado! Deus seja louvado e glorificado para sempre! Oh! Sim, meus irmãos quando Deus tem afeição a uma alma, o que quer que ela faça, ele suporte-a. Nunca vistes um pai com uma criança que ama muito? Sofre com a menor coisa que ela faz, mesmo diz-lhe algumas vezes: “Morde-me, meu filho”. E de onde vem isso? E porque ele ama este filho, Deus comporta-se do mesmo modo em relação a nós, meus irmãos”. Mas Deus quer que nós o amemos. Coração aberto, vontade realizada, caridade em ato. “E necessário amá-La mais que tudo”, e gosta de repetir que a caridade leva a Deus.

Desde modo São Vicente nos mostra o bom caminho. Se o amor de Deus e por Deus, é a fonte de sua vida, a caridade para com o próximo – É a alma da sua vida. Relê o Evangelho com força e perseverança. O amor caridade é o grande motor da sua vida e da sua ação.

“E mais meritório amar o próximo por amor de Deus, do que amar a Deus sem o aplicar ao próximo” (XII 261). E argumenta dizendo se eu tenho a vocação de inflamar o mundo, devo “inflamar-me a mim próprio para amar aqueles com quem vivo”: “Como poderíamos dar aos outros a caridade, se não a temos entre nós” (XII, 263).
Como S. Vicente, nós somos os embaixadores e artífices do Amor de Deus para com os pobres.

De:” Profecia e esperança: Aspecto Vicentino “, Pe. Jean-Pierre Renouard, CM, Eco da Companhia, n. 4, 2009.