Meditação da Quaresma nas quatro virtudes

Introdução

Ao longo do nosso percurso para Páscoa com esta celebração gostaríamos que centrássemo-nos nas palavras de S. vicente. Ele recorda, na Conferência de 14 de Julho de 1658 às primeiras Filhas de Caridade as quarto virtudes que devem caracterizam uma verdadeira filha da Caridade

HUMILDADE, CARIDADE, OBEDIÊNCI¸A, E PACIÊNCIA

Vicente apresenta estas quarto virtudes com as quarto extremidades da Cruz de Cristo

Cross PT“Embora a sua vocação exija que, durante toda a sua vida, pratiquem toda a espécie de virtudes para imitarem Jesus Cristo, no entanto, farão uma particular atenção em praticar as que estão representadas pelas quatro extremidades da cruz, que são a humildade, a caridade, a obediência, a paciência. Farão, pois de maneira que todas as suas ações estejam animadas deste espírito, e pensarão que se assim não fosse, seria em vão que levariam consigo uma cruz material”… (Coste X, 521)

Refrão: (“cantar um refrão da Quaresma”)

1º Momento:

O lugar da humildade é na cruz

«A humildade faz-nos amar os lugares humildes, embora, na verdade, seja uma virtude que nunca permita que aqueles que o têm permaneçam em um lugar humilde. Pelo contrário, os eleva muito alto na perfeição …

…Tenhamos amor à humildade, minhas irmãs, façamos todo o possível para observarmos esta virtude tão querida do filho de Deus, que, para a praticar, morreu numa cruz à vista de todos; esforcemo-nos para fazer actos de humildade tanto interiores como exteriores e digamos a Nosso Senhor: “Concedei-me meu Salvador, a graça de amar a minha abjeção e de nunca procurar ser estimada, mas amar os ofícios mais humildes e o último lugar.”(Coste IX, 1064 e ss.)

Refrão: (“cantar um refrão da Quaresma”)

2º Momento:

O lugar da Caridade é na cruz

“A segunda virtude recomendada às filhas da Caridade, é a mesma caridade. A regra diz-nos, ao recomendar-nos o exercício desta virtude, que devemos ser exactamente aquilo que o nome indica. Se agora me perguntardes em que consiste esta caridade, digo-vos que é amar Deus sobre todas as coisas e ao próximo por seu amor.

O amor do próximo exige que vos ameis mutuamente, começando entre vós, suportando-vos nas vossas franquezas. A caridade deve também ser praticada para com os pobres, servindo com amor.

Refrão: (“cantar um refrão da Quaresma”)

3º Momento:

O lugar da obediência é representada pelo braço direito

A obediência é representada pelo braço direito. Sabeis em que consiste, e, oxalá a pratiqueis. Que quer dizer obediência?Quer dizer que a alma obediente não quer senão a vontade de Deus em todas as coisas e se submete em tudo à vontade dos superiores e das Irmãs Serventes. Oh! Que felicidade! Por vezes há pessoas que andam tristes porque não sabem o que devem fazer para cumprir a vontade de Deus; mas vós obedecendo às Regras, fazeis a vontade de Deus.

Refrão: (“cantar um refrão da Quaresma”)

4º Momento:

O lugar da Paciência que está representada pelo braço esquerdo.

“A quarta virtude que deveis praticar em especial, e que está representada pelo braço esquerdo, é a paciência. Em que consiste, pois, esta virtude? Em sofrer pacientemente todas as contrariedades que se dão na vida, sem se irritar, e se cairmos na impaciência, dominarmo-nos e apaziguarmos a pertubação. Para isto, é preciso minhas Caríssimas Irmãs, ter uma boa provisão de paciência, porque embora não tivêssemos de sofrer da parte dos outros, somos tão miseráveis e tão instáveis que teríamos de suportar-nos a nós mesmos, o que não poderemos fazer sem paciência.

Refrão: (“cantar um refrão da Quaresma”)

Oração Final

Extracto da mensagem da Quaresma 2017 – Papa Francisco

A Quaresma é um novo começo, uma estrada que leva a um destino seguro: a Páscoa de Ressurreição, a vitória de Cristo sobre a morte. E este tempo não cessa de nos dirigir um forte convite à conversão: o cristão é chamado a voltar para Deus «de todo o coração» (Jl 2, 12), não se contentando com uma vida medíocre, mas crescendo na amizade do Senhor. Jesus é o amigo fiel que nunca nos abandona, pois, mesmo quando pecamos, espera pacientemente pelo nosso regresso a Ele e, com esta espera, manifesta a sua vontade de perdão …

O Senhor – que, nos quarenta dias passados no deserto, venceu as ciladas do Tentador – indica-nos o caminho a seguir. Que o Espírito Santo nos guie na realização dum verdadeiro caminho de conversão, para redescobrirmos o dom da Palavra de Deus, sermos purificados do pecado que nos cega e servirmos Cristo presente nos irmãos necessitados.

Canto Final: