Encontros “Dando qualidade em presença e intervençăo em Centros Penitenciários”

[Província Madrid Santa Luísa – Espanha] Uma pequena informaçăo, fazendo uma breve retrospeçăo, sobre os últimos encontros de formaçăo apartir do Departamento de Pastoral Penitencíaria. Conferência Episcopal Espanhola; e o Secretariado da Pastoral Penitencíaria de Alcalá de Henares.

Mesmo que o ano esteja avançando, cabe lembrar as jornadas de formaçăo de voluntariado: Pastoral Penitencíaria Nacional. Nos dias 27 a 29 de outubro nos reunimos em Madrid mais de 80 voluntários de toda Espanha para reflectir sobre o tema de EVANGELIZAR NA MISERICORDIA. Nesta Pastoral asseguramos nossos objetivos em ser uma Pastoral de misericórdia com os presos e seus familiares, pois conhecemos o sofrimento e a marginalizaçăo que também suportam, năo só dos conhecidos, senăo inclusive a própia família. As diversas intervenções foram dando resposta como devemos  aproximar-nos aos internos; a grande importância e qualidade de ser, estar e como fazer. A primeira exposiçăo a cargo de Pedro Fernández Alejo (Trinitario) e delegado da P.P. de Sevilla, esteve centrada em como “Evangelizar na Misericórdia segundo ele Papa Francisco” através do Evangelii Gaudium, a Misericordiae Vultus e a Misericordia et mísera. A delegada de P. P. de Calahorra e a Calzada – Logroño, M.ª Antonia Liviano, falou partindo de sua experiência “o Voluntariado da P.P. hoje” nos expôs a trajectória dos Voluntários ao longo dos anos. Também interveio o leigo Carlos Piñeyroa Sierra, sobre a paixão de ser voluntário e como fazer apartir o Ser. Minha intervenção nestas jornadas foi sobre “O voluntário no interior da cárcere” matizando as oportunidades, dificuldades e os inconvenientes no seio penitenciário.

As jornadas tem oferecido um potenciar de experiências, convivência, inquietações, novas iniciativas… em sintonia com cada um dos participantes, através das reuniões de grupo e a Mesa de comunicações, todos com uma mesma finalidade e desejo; que as pessoas presas recebam a força do Evangelho de Jesus e que lhes ajude em seu processo de reinserção face ao futuro em liberdade.               

Apartir do Secretariado de P. Penitencíaria, de Alcalá de Henares, todos os voluntários  da capelania Católica dos Centros Penitencíarios, Madrid I, Madrid II e Madrid VII, éramos convocados todos os anos para a jornada de formação, com um tema sugestivo e infindável “A arte de Acompanhar/NOS”.  Acompanhar é uma relação vital entre as pessoas, que caminhamos juntas, num plano de mútuo apoio, de cuidado numa relação social, e abrir o olhar, a escuta, a compreensão, orientar, motivar, oferecer novas perspectivas, um caminhar descobrindo, para responder as necessidades das pessoas, respeitando seus direitos. Acompanhar não é; supervisar, gerir nem delegar, é saber fazer, sentir, estar e ser.

 O tema cumpriu com os objetivos de uma contínua formação, para continuar evidando esforços, confiança e corresponsabilidade em nosso serviço com nossos irmãos.

e…. como todos os anos, no passado 12 de Fevereiro, Maria Yela – delegada da Pastoral Penitencíaria da Diocese de Madrid, nos solicitou para partilhar e continuar considerando nosso labor, num clima acolhedor, próximo e fraterno. Analizamos distintos textos do livro “Se a vida nos da limões, façamos limonada” de López e Costa; no seu conteúdo requintado, descobrimos os factores de risco, as incertezas, os impactos emocionais; na definitiva, temos de ter sempre um olhar que vá muito mais além, porque a pessoa não a podemos reduzir a uma só CONDUCTA. Terminamos compartilhando a mesa, os desejos, os sonhos, os contratempos, os esforços por fazer cada dia mais visível e credível, esta Pastoral dentro e fora dos Centros Penitencíarios.

Ir. Maria de Cortes – Filha da Caridade

Views: 737