Bem-aventurado Antonio Frederico Ozanam

Antonio Frederico Ozanam, com um grupo de sete amigos, fundou a Sociedade de São Vicente Paulo, cujo patrono foi escolhido graças à influência de Irmã Rosalie Rendu, Filha da Caridade, que os acompanharia em seus primeiros passos na visita aos pobres, em suas casas. Este se tornou, então, o objetivo da Conferência da Caridade. A Sociedade tem, no momento, aproximadamente 190.000 membros em 90 países e pertence à Família Vicentina.

1813, 23 de abril nascimento em Milão, logo depois sua família se muda para Lyon, na França
1832 estudos em Paris
1833, maio fundação da Sociedade de São Vicente de Paulo
1836 doutorado em Direito
1838 doutorado em Letras, com tese sobre Dante
1841, junho casamento com Maria Josefina Amelia Soulacroix
1844, 21 de novembro professor de literatura na Sorbone
1853, 8 de setembro morte
1997, 22 de agosto beatificado pelo Papa João Paulo II, em Paris durante a Jornada Mundial da Juventude
9 de setembro dia da festa

Antonio Frederico Ozanam nasceu em Milão, em 23 de abril de 1813, filho de João Antonio Francisco Ozanam e Maria Nantas. Frederico dizia ser grato a Deus pelo dom de pais profundamente cristãos.

Este leigo cristão do século XIX, num mundo secularizado, foi um autêntico profeta da Igreja de seu tempo que, como ele mesmo disse, “amo com grande amor e submissão”. Frederico fez seu ensino médio em Lyon e sua formação universitária em Paris. Durante a adolescência, passou por grandes problemas espirituais, mas confiou na direção espiritual do abade Noirot, grande filósofo, que o ajudou a superá-los levando-o a afirmar “Prometi a Deus dedicar minha vida ao serviço da verdade que me enche de paz”.

No dia 5 de novembro de 1831, Frederico Ozanam, um jovem intelectual de 18 anos, chega a Paris, vindo de Lyon, para continuar seus estudos na Sorbone. Com o que viu na capital, ele se sentiu desencorajado, para não dizer horrorizado. Fez amizade com André Maria Ampère, também de Lyon, que o acolheu em sua casa. Lá, ele encontrou apoio para sua fé numa Paris violenta e anticatólica e entrou em contato com Emmanuel Bailly, que em sua juventude, pensara em entrar para a Congregação da Missão e conhecia bem São Vicente de Paulo.

Em 1833, Ozanam, com um grupo de sete amigos, fundou a Sociedade de São Vicente de Paulo, escolhido por eles como patrono. O mais velho era Emmanuel Bailly, com 39 anos; Frederico tinha 20 anos, apenas um outro membro do grupo era mais novo que ele. No começo, eles não tinham experiência de serviço nem de relacionamento com aqueles que viviam na miséria. Precisavam de um guia, que foi encontrado através de Bailly, presidente da conferência nascente, e uma espécie de conselheiro espiritual ou símbolo de sabedoria. Quando eles decidem ir aos pobres, Emmanuel Bailly os envia a uma mulher de 40 anos, Filha da Caridade, Irmã Rosalie Rendu, “Apóstola do bairro Mouffetard”. Grande apóstola e serva dos desamparados do bairro Saint-Médard, em Paris, ela os acompanharia em seus primeiros passos nas visitas aos pobres em suas casas, finalidade estabelecida para a Conferência da Caridade.

O estilo das conferências é visitas a domicílio, contato direto com aqueles que sofrem. Hoje, as conferências estão espalhadas no mundo todo.

Frederico, como filho, marido, pai e amigo e dotado de uma rara sensibilidade, impressionou profundamente a todos os que o encontraram. Ele era uma testemunha da Caridade na vida pessoal, familiar, profissional e civil. Expressou um ardente desejo: “é necessário abraçar o mundo todo num rede de caridade” e era um fiel defensor dos pobres.

Foi professor de Direito Comercial, na Universidade de Lyon, e, mais tarde, professor de Literatura Estrangeira na Sorbone, em Paris. Por razões de saúde, teve que abandonar o magistério que exercia como um apostolado, mas dedicou suas últimas forças à investigação científica e à Sociedade de São Vicente de Paulo.

Após uma longa doença, Ozanam morreu aos 40 anos, em Marselha, no dia 8 de setembro de 1853, numa atitude de total confiança em Deus.

Para maiores informações:  www.ozanet.org