Bem-aventurado Marco Antonio Durando

Padre Durando viveu plenamente sua vocação vicentina. Como Padre Vicente, ele se deixou modelar pelo Espírito santificador. Como diretor das Filhas da Caridade, ousou iniciativas corajosas para sua época: o envio de Irmãs para cuidar dos feridos durante a guerra da Crimeia. Além disso, teve a audácia de fundar uma congregação dedicada ao serviço dos doentes a domicílio, as Irmãs Nazarenas.

1801, 22 de maio nascimento em Mondovì (região do Piemonte, Itália)
1817 entrada na Congregação da Missão
1824, 12 de junho votos perpétuos e ordenação presbiteral
1831 diretor provincial das Filhas da Caridade
1865, 21 de novembro fundação da comunidade das “Filhas da Paixão de Jesus de Nazaré”
1880, 10 de dezembro morte
2001 beatificado pelo Papa João Paulo II
10 de dezembro dia da festa

Marco Antonio Durando nasceu em 1801, em Mondovì (Piemonte), numa família importante. Sua mãe, muito piedosa, educou seus filhos de maneira cristã, enquanto o pai tinha ideias liberais e convicções laicas e agnósticas.

Aos 15 anos, ele já desejava levar o Evangelho para terras distantes. Entra para a Congregação da Missão, faz votos perpétuos aos 18 anos e é ordenado padre em 1824. Depois de cinco anos em Casale Monferrato, vai para Turim, onde reside de 1829 até a sua morte. Sonha partir como missionário para a China, mas sua saúde delicada o impede. Expressa então seu zelo nas Missões Populares, pregando a misericórdia de Deus e convidando as pessoas à conversão. Nessas missões, não se limita somente à pregação, mas onde encontra situações de grande pobreza, intervém concretamente com a aquiescência de seus coirmãos, a exemplo de São Vicente, seu patrono. Marco Antonio apoia e difunde a obra da Propagação da Fé. Fugindo dos extremistas do laxismo e do rigorismo jansenista, prega a misericórdia de Deus levando as pessoas à conversão.

Pressentindo a conveniência de levar as Filhas da Caridade à Itália, deseja instalá-las no Piemonte onde o rei Carlos Alberto as acolhe, em 1833, para que assumam a responsabilidade de diversos hospitais militares e civis. Em 1853, ele tem a coragem de enviá-las para a linha de frente da guerra da Crimeia para socorrer os feridos. Ao mesmo tempo, difunde a associação mariana da Medalha Milagrosa entre os jovens. As vocações eram tão numerosas que o rei Carlos Alberto colocou à sua disposição, em 1837, o convento de São Salvario, em Turim.

Aumentando o número de Irmãs, Padre Durando organiza, na cidade de Turim, uma rede de Centros de Caridade chamada “As Misericórdias”. As Irmãs compartilhavam com as Senhoras da Caridade o serviço a domicílio e o socorro aos pobres. Diversas obras surgiram a partir das Misericórdias: as primeiras escolas de Educação Infantil para crianças pobres, oficinas para as meninas, orfanatos.

As obras de Deus são imprevisíveis. Em 21 de novembro de 1865, festa da Apresentação de Maria, Padre Durando confia à serva de Deus, Luigia Borgiotti, as primeiras postulantes da nova Companhia da Paixão de Jesus Nazareno. São jovens mulheres que o procuraram desejosas de se consagrarem a Deus, mas que não apresentavam as condições canônicas requeridas para entrar nas comunidades religiosas. O Padre Durando morreu em 10 de dezembro de 1880 aos 79 anos.