Bem-aventurado Pedro Jorge Frassati

Pedro Jorge Frassati é um jovem que fez parte da Sociedade de São Vicente de Paulo. Ele morreu aos 24 anos em virtude de uma doença grave contraída no serviço dos pobres.

1901, 6 de abril nascimento em Turim
1918 membro das Conferências de São Vicente de Paulo
1922 renúncia ao sacerdócio
1925 engenheiro de minas
1925, 29 de junho contrai a poliomielite
1925, 4 de julho morte
1990, 20 de maio beatificado pelo Papa João Paulo II como o “homem das bem-aventuranças”
4 de julho dia da festa

Nascido em Turim, em 6 de abril de 1901, numa família da burguesia, Pedro Jorge foi educado de maneira severa por seus pais, Alfredo Frassati e Adelaide Ametis. Desde pequeno, ele se mostra bondoso com os pobres. Em 1918, seu pai é nomeado embaixador da Itália na Alemanha. Nesta época, ele queria ser padre, mas sua mãe, tendo outras ambições, não permite. Pedro Jorge vive sua fé em meio à indiferença geral de sua família. Entra na Escola Politécnica de Turim a fim de tornar-se engenheiro de minas e poder caminhar ao lado dos operários, engajando-se também na Federação de Universitários Católicos Italianos (FUCI).

Em 1918, entra para as Conferências de São Vicente de Paulo, fundadas por Frederico Ozanam. Após uma conversa com Karl Rahner, ele desiste do sacerdócio: “Quero poder ajudar, por todos os meios possíveis, as pessoas do meu país e farei isso melhor conservando meu estado laico do que me tornando padre. Um engenheiro de minas, dando bom exemplo, pode ter uma ação mais eficaz”. Pedro Jorge criou com seus amigos a “Companhia de Pessoas Esquisitas”, um grupo de amigos da juventude rica, que parte sempre em excursão para as montanhas. Ele organiza o pensamento do grupo: “A nós não é permitido vegetar, devemos viver”. Ele estimula seus amigos a viverem sua fé com alegria. Afirma a um deles que “Somente a caridade pode dar sentido a toda uma vida, encher um programa. A caridade é o objetivo que quero alcançar em minha vida, com a graça de Deus”. Procura lutar contra seus defeitos: “Luto para superar todo o meu passado e tudo o que ele tem de repreensível a fim de me educar para uma vida melhor”. Em 1925, aos 24 anos, ele deixa todas as suas atividades, exceto as Conferências de São Vicente de Paulo, das quais continua a participar.

Em 29 de junho de 1925, ele contrai a poliomielite durante uma de suas visitas aos necessitados. Quando sua avó está agonizando, Pedro Jorge, muito cansado, não sabe ainda que sofre da doença que o arrebatará dentro de alguns dias. Não reclama. Em 3 de julho, é dado o diagnóstico: poliomielite em estado avançado. Sendo sexta-feira, dia de suas visitas aos pobres, Pedro Jorge pede a sua irmã para entregar um bilhete que escreve com muita dificuldade: ele pede que o substituam junto aos pobres que deveria visitar. No dia 4 de julho de 1925, ele morre, paralisado pela poliomielite. Somente após a sua morte, sua família toma conhecimento de suas ações de caridade; mesmo seus amigos, fora do círculo das Conferências, não estão a par da importante atividade realizada junto aos pobres. Durante suas exéquias, milhares de pessoas, dentre as quais muitos pobres de Turim, acompanham o trajeto até a Igreja.

Em 1983, durante a criação das Jornadas Mundiais da Juventude, o Papa João Paulo II citou Pedro Jorge Frassati como modelo de santidade para a juventude.