São Justino de Jacobis

Dos muitos filhos de Vicente de Paulo que foram exemplares em sua vocação e na evangelização dos pobres, alguns nos foram apresentados como modelo. Justino de Jacobis – o grande apóstolo do povo da Abissínia (conhecido hoje como o povo da Eritreia e da Etiópia) é um deles.

1800, 9 de outubro nascimento em Nápoles, Itália
1818, 17 de outubro entrada no Seminário da Congregação da Missão
1824, 12 de junho ordenação presbiteral
1839, 24 de maio responsável pela missão na Abissínia e arredores
1860, 31 de julho morte
1939, 25 de junho beatificado pelo Papa Pio XII
1975, 26 de outubro canonizado pelo Papa Paulo VI
30 de julho dia da festa

Justino nasceu em San Fele, perto de Nápoles, em 9 de outubro de 1900. Ele era o sétimo filho de Maria Josefa e João Batista de Jacobis, uma família de muitos recursos e profunda fé cristã.

Entrou na Congregação da Missão em 1818, em Nápoles. Suagrande humildade fez com que ele pensasse não possuir as qualidades necessárias para o sacerdócio, mas seus superiores discordaram e ele foi ordenado em 12 de junho de 1824, na catedral de Brindisi. Durante seus cinco primeiros anos de sacerdócio, seu trabalho principal era pregar retiros para leigos, padres e irmãs e realizar missões nas paróquias. Ele também organizou vários eventos de caridade para ajudar os pobres.

Justino realizava as tarefas que lhe eram pedidas de uma maneira muito humilde e, obedientemente, aceitou servir em qualquer ofício ou assumir qualquer responsabilidade na Congregação da Missão. Durante a grande epidemia de cólera que devastou Nápoles, em 1836, ele trabalhou ininterruptamente, a ponto de arriscar sua própria vida.

Em 1838, o Cardeal Philippe Franzoni, Prefeito da Sagrada Congregação para a Propagação da Fé, visitou a Casa Provincial dos Lazaristas em Nápoles. Conversoucom o superior, Padre Justino de Jacobis, sobre as necessidades da Abissínia e o desejo de começar uma missão lá. Com a concordância dos Superiores, Padre Justino de Jacobis aceitou este chamado. O mandato para o estabelecimento de uma missão foi dado pela Congregação da Missão em 24 de maio de 1839 e o Padre Justino de Jacobis foi enviado para a Abissínia como Prefeito Apostólico dessa região.

Justino de Jacobis se deixou conduzir pelas mãos da Providência na evangelização do povo. Ele estava bem enraizado no espírito da Congregação da Missão e sua vida refletia especialmente a humildade, a gentileza, o zelo e a paciência nos sofrimentos e nas incompreensões.

O Senhor deu a Justino uma compreensão clara da cultura e das tradições do país. Ele aprendeu a língua, viveu com o povo e trabalhou para melhorar as boas relações no nível local.

Era um homem à frente do seu tempo no que diz respeito à inculturação e ao anúncio do Evangelho; soube usar as tradições e a cultura do povo. Foi também um grande precursor do diálogo ecumênico entre os cristãos cooptas e os católicos.

Durante vinte anos, o Padre Justino de Jacobis entregou-se ao serviço do Evangelho, sendo um excelente mentor e formador dos padres. Depois de muito sofrimento, ele teve o mérito de restaurar a Igreja Católica na Abissínia.

Após muitas perseguições, Justino de Jacobis morreu de febre tropical numa estrada, perto de Halai, no vale de Alighede, em 31 de julho de 1860.