Chamado á Santidade

Ir Melchora Adoración Cortés Bueno,
Mártir – Beatificada em Tarragona ao 13 de Outubro de 2013

A Companhia das Filhas da Caridade é uma das jóias da Igreja de Deus. Não digo que seja a mais bela, mas sim uma de suas joias”. (Ir Susana Guillemin, Superiora Geral)

VEJAMOS que assim o entenderam e viveram as irmãs mártires beatificadas.

Uma menina de voos altos: Melchora Adoración é a quinta de uma família cristᾶ numerosa de sete filhos, quatro meninas e três meninos. Nascida a 4 de Janeiro de 1894 em Sos (Zaragoza) foi baptizada três dias depois por decisão de seus pais Jerónimo Cortés, pastor, e Eusebia Bueno, doméstica. Ambos proporcionaram a seus filhos uma sólida educação cristã dentro do lar e escolhendo uma escola católica para a aprendizagem da cultura elementar e superior. As meninas as levaram ao colégio das Filhas da Caridade e os meninos ao dos religiosos Escolapios da villa.

Adoração de Melchora, de inteligência desperta, caráter comunicativo e aberto, sonhava em voar alto, ser uma mulher cristã educada e ter uma boa educação. Quando criança, cultivou a fé, tanto na família como na escola das Filhas da Caridade. Em sua adolescência, ela adquiriu aquela ampla cultura geral que ela buscava e desejava. Ela aprendeu a ler e escrever corretamente, gramática, matemática, princípios de contabilidade e domínio das tarefas do lar. Desde tenra idade, ela mostrou uma habilidade especial para desenhar e pintar. Uma imagem da Imaculada (cópia do famoso pintor Murillo) e várias estampas pintadas por ela são preservadas. Aos treze anos recebeu sua primeira comunhão, segundo o costume da época. Ir. Josefa Alba, professora e catequista, incutiu nela uma forte devoção à Eucaristia.

Selada pela marca mariana: Como estudante da Escola das Filhas da Caridade, recebeu o selo da devoção mariana. Várias vezes por dia rezamos e invocamos Maria como mãe de crianças e jovens e também mãe dos pobres. Na adolescência, foi membro da Associação das Filhas de Maria da Medalha Milagrosa do Colégio, da qual participou de maneira comprometida e responsável. Seus amigos e companheiros afirmam que ela era piedosa e muito sensível às necessidades dos pobres. Nessa atmosfera de piedade e devoção popular, ela sentiu o chamado do Senhor para consagrar-se plenamente a ele e servi-lo na pessoa dos necessitados.

Vocação e apostolado:Incentivada por seu confessor e sua tia paterna, Irmã Patrocinio Fernández Cortés, Filha da Caridade, ela deixou a aldeia e foi para o aspirantado de Sangüesa (Navarra) onde estudou leccionando. Ela ingressou na Companhia em 18 de março de 1914, depois de ter completado seu postulantado no Hospital de Sangüesa.Tinha 20 anos.

 A província espanhola contava então com 666 Comunidades e 6.425 irmãs. Ela foi recebida na Companhia por Ir. Josefa Bengoechea, Visitadora Provincial, Ir. Úrsula Tablado foi sua diretora do seminário e venerável Irmã Justa Domínguez, a instrutora auxiliar. Ela fundamentou sua vocação aprofundando a vida espiritual, o conhecimento do Evangelho e do Catecismo, nos ensinamentos dos Fundadores e das Regras da Companhia. No Seminário, ela descobriu e fortaleceu seus grandes amores: Jesus Cristo, a Virgem Maria, a Igreja e os pobres

Após o tempo de formação do Seminário, com 21 anos, foi destinada à Escola Riquelme de Granada, onde esteve apenas alguns meses. Razões de saúde determinaram a sua transferência para a Escola Asilo Aleixar (Tarragona). Lá ela trabalhou vários anos como professora e se preparou para ratificar sua dedicação a Deus pelos votos que fez pela primeira vez em 25 de Março de 1919. No dia seguinte, ela escreveu para sua irmã Encarnación enviando-lhe uma foto com esta bela oração escrita por ela:

“Eu me consagrei a Deus e Ele se dignou a aceitar minha consagração. Que bondade ele tem! Que alegria minha! Com o que vou pagar ao Senhor uma misericórdia tão honrosa? … Ele não precisa de mim. Eu não posso dar nada que não seja seu … Mas há tantas meninas que precisam de educação e educação cristã! E o que eu faço com eles, o Senhor o recebe como feito a Ele. Ele os ama muito! … E enquanto eu sofro por eles, o Senhor o recompensará como sofrido por Ele; Sim, para Aquele que sofreu tanto por mim … Meu Deus, enquanto eu permaneço um momento da vida eu usarei para te levar a Ti! … Abençoado mil vezes se houver muitos que através de meus meios te conheçam, te amem e te sirvam … e glorificá-lo eternamente no céu. Traga-me suas orações lá, Senhor, e sua infinita misericórdia. Amém. “

Essas disposições de sua juventude foram fortalecidas ao longo dos anos. Seus alunos e membros da Comunidade a viam como uma pessoa jovial e fervorosa, uma amante de sua vocação, trabalhadora, criativa, disponível para os superiores e muito paciente com os alunos. De Aleixar foi designado para o Hospital e Escolas de Corella (Navarra), desenvolvendo seu trabalho educacional entre 1921 e 1924.

Uma amizade encorajadora:  Em seguida foi destinada ao Colégio da Imaculada de Leganés, onde se encontrou com a Irmã María Severina Díaz-Pardo. Ir. Melchora Adoración foi nomeada diretora das escolas e professora de educação primária. Ir. Maria Severina, que estudou no ensino e na música, assumiu a responsabilidade da pastoral juvenil: Associação Filhas de Maria, coral e grupo de teatro com os alunos mais velhos. Então veio uma amizade sincera e profunda que enriqueceu a Comunidade e promoveu a colaboração.

A irmã Melchora Adoration possuía qualidades de líder. Com sua maneira de motivar, ensinar e propor, atraiu mulheres jovens e as encorajou na prática do bem, e o seguimento de Jesus Cristo foi atraente e entusiástico. Durante esses anos, organizou um coral com a Irmã María, um grupo de teatro, uma visita aos pobres, acampamentos de verão, peregrinações a santuários marianos e grupos de catequistas na paróquia de El Salvador

Após nove anos de permanência em Leganés, no início de 1933, foi enviada ao Hospício de Vitória como professora. Dentro de algumas semanas ela ficou doente e se tornou necessário remover o rim direito. Assim, as irmãs não possuíam segurança social ou possibilidades econômicas para enfrentar uma intervenção cirúrgica. Consciente de sua doença, sua tia, Irmã Patrocínio Fernández Cortés, conhecida pelos médicos do Hospital Zamora, solicitou que ela fosse enviada para a intervenção cirúrgica. Durante sua convalescença ele estudou enfermagem e obteve o diploma oficial na faculdade de medicina de Salamanca.

As ex-alunas, os pais da escola de Leganés e a comunidade insistiram em seu retorno. Os superiores concordaram com isso e, novamente, encontramos em Leganés a partir de 5 de setembro de 1934. Foi recebido com alegria pela Comunidade e pelo povo. Como antes, ela dava aulas de cultura geral para os alunos mais velhos, dirigia o ateliê de costura, ministrava cursos para costureiras e ensinava a pintar … Ela se apresentava bem como professora e diretora da Escola. Seus alunos descreveram-na assim: “Sor Adoración teve a graça de nos dar o que precisávamos sem nos humilhar … Ela nos ensinou a costurar, rezar e tratar bem as senhoras. Nós também fizemos teatro, foi muito feliz e encorajou as festas … Em face da adversidade ela disse: “Não se preocupe, que, no Reino dos Céus, os últimos serão os primeiros” … Ela exerceu caridade com o próximo e ficou pendente não só para servir os pobres que vinham à porta, mas para as meninas que não podiam pagar … Ele ajudava os necessitados de maneira agradável e prudente, sem humilhar os que recebiam a ajuda. “

 

A santidade do valor das pequenas coisas e dos gestos cotidianos: este é o segredo que a levará a dar sua vida pela fidelidade a Jesus Cristo. Sua companheira Irmã Mary admirava sua habilidade e zelo e, acima de tudo, o entusiasmo nas pequenas lealdades e gestos de cada dia: “Agora a Irmã Adoração – ela diz em uma de suas cartas – está preparando as meninas para a primeira comunhão e as mães confessam depois de motivar e catequizar. Eles fazem isso pelo cumprimento pascal, uma vez que muitos deles não o fazem desde que se casaram ”. Convidou as jovens a pertencerem à Associação das Filhas de Maria, ensinou-as a orar e a questionar-se por sua fidelidade ao plano de Deus para elas. Amante da Virgem Maria, ela trabalhou com determinação para estender sua devoção entre as famílias, espalhando a Medalha Milagrosa e a capela da visita domiciliar. Foi Diretora da Associação das Filhas de Maria de 1930 a 1936.

Preparação para o martírio:Em face da perseguição, ela permaneceu firme na fé. Isto foi testemunhado por uma das testemunhas do processo: “Ouvi dizer os milicianos psiquiátricos que, ao expulsarem as irmãs de Leganés, propuseram a Ir Adoración, professora do colégio jovem e bonita, para retirar seus hábitos e ficar com eles. E ela respondeu  para onde foram as suas irmãs iria ela. ” E ela foi para uma pensão na rua Arenal, em Madri. Assim, ela se preparou para o martírio, unido a Cristo em oração, eucaristia e serviço aos outros. Ela deu sua vida com 42 anos de fidelidade a Cristo e seu Evangelho na Porta de ferro, em Madrid, perdoando aqueles que tiraram a sua vida.

___________________________________________________________

Chamado á Santidade – Arquivo