A santidade de pequenos passos

A santidade de pequenos passos

A constituição Lumen Gentium lança um apelo à santidade universal. O papa Francisco especifica que «Esta santidade, a que o Senhor te chama, irá crescendo com pequenos gestos » (Gaudete et exultate, 16).

Aqui está um belo encontro que revela esse progresso em direção à ressurreição.

Hoje de manhã eu me uni à maternidade para conhecer um jovem casal que acabava de perder o filho. A mãe daria à luz depois de uma gravidez normal mas algumas horas antes de acontecer, seu filho morreu …Como imaginar tal drama? O berço preparado permanecerá vazio.

Desde o parto, há três dias, a mãe não dorme mais. Seu marido não é crente, mas respeita a fé de sua esposa. Eles vieram para a capelania para preparar uma festa de despedida e homenagear a sua filha. “Devemos fazer isso por ela, acompanhá-la até o fim.” Eles são muito atenciosos um com o outro. A beleza de seu amor é luminosa, sua aparência, seus gestos, suas palavras são marcadas com grande ternura. Eles estão em um redemoinho emocional tão violento e ainda … estão de pé

Eles querem ter tempo para ler os textos, para preparar este tempo de meditação com a família. Diante da incompreensão e da dor, eles não se rebelam: “não temos raiva”. Eles se juntarão a uma associação que acompanha pais que sofrem de luto perinatal. Esses pais em perigo ficam incomodados com as tragédias vividas por outros pais que, como eles, perderam uma criança ao nascer.

Deste casal, tão devastado e tão digno, emana uma luz do Evangelho. Seu amor é o de Maria e José, todos dados um para o outro e abertos à vida. Sua humildade é a do centurião, quando eles deixam seus corações feridos, movidos por situações dolorosas cruzadas por outros pais. O bem-vindo a este indescritível julgamento é o de Maria, ao pé da cruz, recebendo o corpo do seu Filho sem vida.

Seu caminho de santidade é o dos pequenos passos, passos dados na confiança da promessa de vida além de toda a morte

O Papa Francisco nos convida a esse caminho em sua exortação apostólica: Gaudete et exultate

«No fundo, a santidade é viver em união com Ele os mistérios da sua vida; consiste em associar-se duma maneira única e pessoal à morte e ressurreição do Senhor, em morrer e ressuscitar continuamente com Ele. (Gaudete et exultate, n.20)

«É Cristo que ama em nós, porque «a santidade «mais não é do que a caridade plenamente vivida» (Gaudete et exultate, 21)