Minha Vocaҫᾶo

Sou Marisa, a quinta de cinco filhos, a filha que os pais tiveram na velhice, e me sinto um presente do Senhor, porque meus pais disseram sim à vida depois de ter o quarto filho com Síndrome de Down: meu irmão Gianni, o presente mais precioso para mim e minha família.

Eu fui uma criança quieta que sonhava com uma família com muitos filhos e de ir em missão, mas o Senhor tinha outros planos para mim. Envolvido na vida paroquial, formei-me em Ação Católica. Desde tenra idade, aprendi com meus pais a ter um olhar cuidadoso, dirigido aos irmãos mais frágeis e pobres e a ser caridoso em silêncio, minha mãe sempre me dizia “ninguém deve saber o que fazemos”.

Aos 15 anos, após um acidente com minha melhor amiga Antonella, perguntei-me quem estava cuidando dos doentes e, no ano seguinte, iniciei o curso de Enfermagem. A partir daquele momento em que minha vida mudou, o encontro com os doentes me deu um sabor diferente da vida; apesar de ter continuado minha vida assídua como paroquiana, me senti insatisfeita e por dentro senti uma voz que dizia: “Não quero nada de Tí, mas quero a Tí”. Entre as enfermarias do hospital, conheci as Filhas da caridade, e o modo de servir delas me fascinou e apaixonou, e assim comecei uma jornada de acompanhamento espiritual. A frase que me acompanhou na jornada foi “Com anor eterno eu te amei Eu te amei, tú és precioso aos meus olhos”.

Mas, apesar disso, era difícil dizer que sim, porque eu sentia que já tinha uma missão em minha família para viver, mas o Senhor me seduziu e me deixei seduzir ao descobrir que o Senhor da vida é Providência e ternura. Sinto muita alegria por ser filha da caridade e, após quase 25 anos, agradeço ao Senhor que me escolheu para ser seu pequeno servo dos Pobres. Por cerca de três anos, moro em uma casa de família que acolhe pessoas vivendo com HIV / AIDS e estou aprendendo aqui que, para amar, deve se deixar amar. Estou experimentando que apenas o amor cura cada ferida e volta à esperança e à vida.

Sou grato ao Senhor porque todos os dias me permite viver em fraternidade com minhas irmãs, ouvir sua Palavra para se alimentar dele e servi-lo entre os irmãos e irmãs mais frágeis.

Ir. Marisa Pitrella, Provincia São Vicente Itália