Minha Vocaҫᾶo

“A minha vocação é servir com alegria”

Minha vocação nasceu desde a tenra idade, no seio de uma família cristã, católica, na pequena cidade de Catarina no interior do Ceará, Brasil. Graças a vivência dos meus pais e ao testemunho fiel de minha Avó materna, Maria Ezequiel Domingues (falecida), que nos afeiçoamos às coisas de Deus, principalmente a devoção a Nossa Senhora, a oração do terço que víamos rezar todos os dias; a oração antes e depois das refeições; bem como antes de dormir e ao levantar, o hábito de tomar a bênção aos pais e aos idosos com todo respeito e obediência. Essas práticas dos valores cristãos e a caridade aos necessitados que víamos habitualmente minha mãe fazer, aguçaram em mim, o gosto pela doação aos irmãos.

Após minha primeira eucaristia, continuei os encontros de oração e me tornei catequista. Sentia-me feliz, realizada nesta missão, sempre desejando avançar mais neste seguimento. Após a crisma, senti claramente o chamado à vida Consagrada e o Espírito Santo me deu coragem de falar, de anunciar as maravilhas do Senhor com alegria e sem medo. O elã missionário, o profetismo dos sacerdotes, a Igreja renovada, as pastorais vibrantes, jovens comprometidos, animados, fazendo o bem, era e continua sendo o sonho de Deus, pulsante em meu coração, alimentando minha vocação.

Como era comum nas cidades pequenas do Brasil, os jovens migrarem de sua terra para estudar e conseguir uma profissão em outros estados, também saí de minha terra, para Recife, aonde minha Tia Irmã Ester havia conseguido uma vaga para cursar o magistério juntamente com outras jovens internas), no Colégio Maria Tereza, sob a direção de Irmã Irene Jacob e demais Filhas da Caridade, a quem sou reconhecida e grata por tudo que recebi e aprendi com as Irmãs. Foi neste espaço de tempo, que procurei as Irmãs responsáveis pelo Serviço de animação vocacional e pude participar dos encontros e quando conclui o curso, logo fui admitida ao postulado no dia 11 de Fevereiro de 1988. Foi uma das maiores alegrias de minha vida. Irmã Diva Pinto Freire, que me acolheu e sempre confiou em minha vocação, me apresentou à Comunidade ainda hoje com 94 anos, está lucida e continua fazendo e ensinando trabalhos manuais as crianças pobres a quem sempre serviu.

Ingressei no Seminário no dia 16 de julho de 1989 dia de Nossa Senhora do Carmo. Logo mais nossa turma fará 31 anos de vocação. Minhas coirmãs de turma são: Irmã Maria de Jesus Santiago, Irmã Josefa Luiz Ribeiro e Irmã Rita de Cássia Cerqueira, sem esquecer nossa Bem-aventurada Lindalva Justo de Oliveira. (em processo de canonização) Com ela, tive o privilégio do convívio no Seminário tempo de profundo silêncio e oração, em que Irmã Lindalva se mostrava madura na fé, reflexiva, consciente de sua decisão e comprometida com o serviço. Após o seminário fui enviada em missão para Salvador, Bahia. Minha comunidade, Instituto Nossa Senhora da Salette, onde passei 13 anos, permanece ainda hoje, como uma força na formação permanente, sobretudo nos valores da vida fraterna, amizade, obediência aos superiores e a verdadeira alegria na missão, mesmo com dificuldades, porém, com ânimo para prosseguir perseverando sem jamais se cansar. Continuo firme no processo de conversão, confiando na bondade de Deus que não me deixa desfalecer na fé nem desanimar no grande dom de minha vocação.

A minha Comunidade (Escola São José), é localizada numa área portuária, aonde os pescadores retiram o sustento para sua sobrevivência. Há desemprego, fome e vícios de toda sorte. É neste contexto de vulnerabilidade, que desenvolvo o trabalho diretamente com as crianças e seus familiares na Evangelização, assistência social, colaborando na formação humana e cristã. Sou auxiliada por minhas Irmãs, os vicentinos e voluntários de nossa paróquia. Na Escola, atuo na coordenação pedagógica, Pastoral escolar e Catequese de Primeira Eucaristia. Somos muito bem acolhidas nas paróquias, aceitas pelos leigos, e nosso trabalho é confiável na Comunidade Educativa e no meio social que atuamos. Apesar das inúmeras dificuldades que enfrentamos, somos ainda, um sinal de Deus no meio deles, pois nossas Irmãs iniciaram um trabalho há mais de 80 anos que honram a dignidade das Filhas da Caridade neste local.

Neste tempo de pandemia, com todos os desafios inerentes a esta crise mundial de saúde, estamos distribuindo semanalmente alimentos, frutas e verduras para muitas famílias, bem como máscaras e orientando-os para os devidos cuidados evitando, assim, a contaminação do covide19.

Cada dia é um novo desafio, mas Deus nos surpreende com sua infinita misericórdia, renovando nosso amor incondicional ao Seu serviço.

Quero agradecer profundamente a Nosso Senhor pela vida, missão e vocação.

Irmã Maria Dejânia Domingues de Oliveira FC