OS POVOS ÍNDÍGENAS PEDEM MEDIDAS HOLÍSTICAS DE DESENVOVIMENTO

Lindomar Ferreira[ONG-ONU] Irmã Catherine Prendergast, representante da Companhia das Filhas da Caridade nas Nações Unidas, partilha a notícia abaixo vinda da ONU, em Nova Iorque:

O mundo precisa caminhar numa diferente batida de tambor quando se trata de medidas para o desenvolvimento. Assim disseram os representantes reunidos na ONU para a XIV Sessão do Fórum Permanente sobre Questões Indígenas. Seu encontro coincidiu com outros que estão avaliando a Agenda de Desenvolvimento pós-2015.

Pareceu ser um consenso que dinheiro não é tudo. Várias vezes, os palestrantes afirmaram que não se pode melhorar a qualidade de vida das pessoas apenas através da economia. Os povos indígenas são frequentemente esquecidos quando a qualidade de vida é avaliada pela riqueza e o consumo de commodities. Outros disseram que usando o Produto Interno Bruto (PIB ou o valor total dos bens e serviços produzidos em um ano no país) como uma referência, as desigualdades não são consideradas. Além disso, os estados ricos podem mobilizar ativos, mas não podem extrapolar dados econômicos como saúde, educação, bem-estar que informam o uso dos recursos, disse um palestrante. As médias nacionais tornam as pessoas invisíveis, alguém mencionou.

Emergiu então, um mosaico de ideias para uma avaliação mais holística do desenvolvimento. Sugestões focadas em medidas que consideram o crescimento das capacidades das pessoas e de suas comunidades e também refletem sua liberdade e possibilidade de fazer uma ampla gama de escolhas que influenciam o seu bem-estar e o de suas comunidades. Foi dito que as melhores medidas seriam qualitativas, bem como quantitativas. Além disso, incluiria a ideia dos direitos humanos de que nenhuma pessoa é deixada para trás. Os valores culturais devem ser integrados em todos os aspectos do desenvolvimento sustentável. A inclusão de indicadores relacionados ao trabalho, às mulheres e crianças, às redes sociais, ao ambiente, à segurança pessoal, à saúde, às taxas de criminalidade, à ecologia e ao bem-estar espiritual estavam entre outras áreas de determinação do desenvolvimento mencionado.

As preocupações levantadas durante a semana, além das metas de desenvolvimento, estavam relacionadas às alterações climáticas, às questões das mulheres e crianças, à visão dos jovens indígenas, aos oceanos e à pesca, à saúde, às práticas agrícolas, aos efeitos industriais sobre os povos indígenas e à importância de proteger as tradições cultural, espiritual, ecológica, educacional e a justiça e a língua.

Há cerca de 370 milhões de indígenas do mundo. O Fórum Permanente das Nações Unidas sobre Questões Indígenas (UNPFII) é um órgão consultivo do Conselho Econômico e Social (ECOSOC), com um mandato para discutir questões indígenas relacionadas com o desenvolvimento econômico e social, a cultura, o ambiente, a educação, a saúde e os direitos humanos.

Representatives West Papua

Views: 1.603