Minha experiência nas Nações Unidas, em Nova Iorque

Irmã Germaine Price, representante da Companhia das Filhas da Caridade nas Nações Unidas, partilha a notícia abaixo vinda da ONU em Nova Iorque: 

[ONG-ONU] Ao concluir meus estudos em Chicago, os Superiores me ofereceram a oportunidade de fazer uma experiência em Nova Iorque, nas Nações Unidas, para conhecer o complexo sistema desta estrutura e organização. Irmã Germaine Price, que trabalha na ONU como representante das Filhas da Caridade há mais de 6 anos, apresentou-me, pouco a pouco, por aproximadamente  um mês, este mundo complexo e fascinante.

Na sede da ONU, tive a oportunidade de visitar a sala da Assembleia Geral, onde 193 membros da Organização se reúnem para discutir questões globais, a sala do Conselho de Segurança e várias exposições agrupadas sob o tema “As Nações Unidas: da guerra ao desenvolvimento”. Foi emocionante ver a contribuição dos pacificadores ao redor do mundo, os 30 artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e o trabalho das Nações Unidas para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Como Filhas da Caridade fazemos parte das Organizações Não-Governamentais da ONU sendo assim, pude participar de várias comissões de ONG’s com Irmã Germaine. Nestas reuniões, diferentes organizações do mundo todo lutam contra o tráfico de pessoas, a pobreza, a guerra e etc.

Minha responsabilidade durante este período na ONU foi trabalhar numa pesquisa global on-line sobre o tema: Erradicação da Pobreza. O questionário da pesquisa tinha sete questões sobre os obstáculos que os pobres enfrentam quando são chamados a participar em tomadas de decisão que os afetam; como as organizações pesquisadas trabalham para facilitar a participação das pessoas que vivem em pobreza em seus programas e o que essas organizações acreditam serem as melhores práticas para facilitar a participação. Das 168 respostas de 59 países, 54 vieram das Filhas da Caridade de todo o mundo.

Não é interessante que todos os estados-membros da ONU, não importa se são pequenos ou grandes, pobres ou ricos, fortes ou fracos possuem igual direito à voz? Cada nação ocupa um lugar importante e tem a oportunidade de falar e a chance de ser ouvida, mas primeiro deve transcender seus estreitos pontos de vista a fim de atingir um nível mais profundo de partilha entre os seres humanos. Neste tipo de partilha, não há lugar para ódio, violência e guerra, mas as únicas coisas que importam são o amor e a paz.

Como Filhas da Caridade na ONU, somos chamadas a ajudar a construir um mundo onde pessoas de todas as nações, tribos e línguas estão juntas e felizes como está escrito no livro do Apocalipse!

 Ir. Christina Laim

Para maiores informações sobre as Filhas da Caridade na ONU: www.cmdcngo.org

Views: 2.015