Dia Internacional de Nelson Mandela

Irmã Germaine Price, representante da Companhia das Filhas da Caridade nas Nações Unidas, partilha a notícia abaixo vinda da ONU em Nova Iorque:

[ONG-ONU] A Assembleia Geral das Nações Unidas decidiu, em Novembro de 2009, declarar o dia 18 de julho, dia do aniversário de Nelson Mandela, como o “Dia Internacional de Nelson Mandela” para comemorar seu longo compromisso com a resolução de conflitos, as relações raciais, os direitos humanos, a reconciliação e a igualdade de gênero. Este dia homenageia a contribuição do antigo líder sul-africano na luta pela paz e pela liberdade. Nelson Mandela foi um homem de grande integridade durante toda a sua vida; ao trabalhar pela liberdade, ele buscou viver de uma maneira que respeitasse e promovesse a liberdade de outros. Ele acreditava firmemente que “a sua liberdade e a minha não podem ser separadas”.

Seu exemplo é um lembrete à comunidade internacional da importância do diálogo como um caminho para a paz. Ele nos lembra que: “Se você quer fazer as pazes com seu inimigo, você tem que trabalhar com seu inimigo. Então, ele se torna seu companheiro”.

O antigo líder da luta contra o apartheid e Prêmio Nobel da Paz gostava de dizer aos outros que ele era um homem comum. Ele não foi mantido por dinheiro ou poder, mas realizou coisas extraordinárias que tiveram um grande custo pessoal tanto para ele quanto para sua família. Seus sacrifícios não serviram apenas para as pessoas de sua própria nação, África do Sul, mas tornaram o mundo um lugar melhor para se viver. Esta é uma das razões pelas quais ele é uma grande inspiração para milhões de pessoas ao redor do mundo.

O mundo de hoje, 2012, é diferente do que era em 2010 quando este dia foi celebrado pela primeira vez. Tantos países e pessoas podem encontrar inspiração, esperança e coragem neste grande líder em sua luta pela paz e pela liberdade em suas próprias vidas e em seus países. Nós também vamos assumir este desafio?

“Superar a pobreza não é somente uma tarefa de caridade – é um ato de justiça. Assim como a escravidão e o apartheid, a pobreza não é natural. Ela é produzida pelo homem e pode ser superada e erradicada pelas ações dos seres humanos. Algumas vezes, recai sobre uma geração a missão de ser grande; vocês são esta geração.”

Para maiores informações sobre as Filhas da Caridade na ONU: www.cmdcngo.org

Views: 1.919