São Pellegrino Terme: Festa das nossas Irmãs

[Província de São Vicente – Itália] A Comunidade Paroquial de San Pellegrino (BG) uniu-se ás suas irmãs para celebrar a entrada na Companhia das Filhas da Caridade. Um gesto que simboliza o amor e respeito mútuo que ocorre entre as Irmãs e San Pellegrino. Um ato de louvor a Deus, gratas pelo dom recebido, uma oração para acompanhá-las sempre com seu olhar e para nos ajudar a tomá-las como um exemplo e tirar beneficio disso.

A Irmã Maddalenaé Filha da Caridade desde 1948 e, portanto, celebra os 70 anos de vocação, Irmã Gabriellacelebra 65 anos, Irmã Raffaella60, Irmã LídiaeIrmã Gaetanina50.

A Paróquia também tem mais um motivo para a festa, porque recorda os 60 anos da Irmã Gabriella, que chegou a San Pellegrino a bordo do trem Brembana Valley em 21 de Abril de 1958. Juntamente com todas estas aniversáriantes, é bom acrescentar os 25 anos de Presença da irmã Raffaella.

Por muitos anos as Filhas da Caridade andaram conosco, ou em outras Comunidades ou em outras terras onde a obediência as destinou, sempre com simplicidade, cordialidade e entrega, segundo o estilo típico “vicentino” de testemunhar fé e Caridade.

As Irmãs chegaram em 1874, chamadas para ajudar as pobres e órfãs do orfanato ligado à Fábrica de seda de Beaux, onde permaneceram lá por trinta anos. Enquanto isso, em 1895, o jardim de Infância nasceu por iniciativa do Pároco Cavallari, que pôde contar imediatamente com a presença e o trabalho das Irmãs. Toda a Comunidade juntou-se então ao pároco, que um ano depois conseguiu construiu a creche (que era menor do que a atual) que desde então tem continuamente oferecido seu valioso serviço às famílias.

A creche tinha e ainda tem um jardim de infância, mas era uma escola primária, uma oficina de costura, um oratório de mulheres e um lugar para conhecer e organizar mil atividades paroquiais. Por oitenta anos tudo se manteve no compromisso e no trabalho de cinco irmãs. Com o passar dos tempos, as Irmãs se tornaram idosas e outras assumiram o papel na linda creche. Mas as Irmãs (mães, mais que as Irmãs) nunca deixaram de estar sempre disponíveis, em seu estilo acolhedor, humilde e tranquilo. Elas apreciavam as crianças, os idosos do Oasis, os doentes, mas também os jovens do oratório e da comunidade na liturgia.

É a festa delas e  o Jornal “L’Eco di San Pellegrino” se fez o intérprete de toda a Paróquia exclamando “Obrigado e muitas Felicidades!”

Alberto Cervi [Jornalista do L’Eco di San Pellegrino]

Views: 183