Prémio ao Colégio Sta. Isabel de Madrid

[Província Espanha-Sul] O colégio Santa Isabel, conta com 700 alunos de 58 nacionalidades diferentes. «Apenas 1% são espanhóis, o resto são famílias migrantes e desfavorecidas ». Como resultado de seu trabalho com esses perfis, a Comissão Espanhola de Assistência aos Refugiados (CEAR) concedeu à escola o Prêmio de Ações pelo refúgio Juan María Bandrés.

Os estudantes de Santa Isabel «não precisam pagar nada». A administração paga um concerto e o resto é colocado pelas irmãs. A Comunidade de Madrid cobre seus livros escolares durante os três primeiros cursos da Primária e as Irmãs dão-lhes o uniforme. As crianças, muitas vezes “vêm sem roupa e sem comida”, confiam no trabalho social do centro para progredir. Com a ajuda da Cruz Vermelha, a escola distribui cestas básicas duas vezes por semana, já que “muitos dos que frequentam a cantina tomam a única refeição do dia”.

«Há crianças que entram e saem depois de dois ou três meses porque são realocadas de organizações como a CEAR”. Rapidamente, eles avaliam seu nível e atribuem a elas “uma equipe de conselheiros muito conscientes das crianças, porque uma família numerosa é formada aqui”. Em alguns casos, as crianças não sabem espanhol, um grupo de professores “muito dedicados” ensina a toda velocidade e se vira especialmente com elas.

Os alunos de Santa Isabel têm um acompanhamento do Centro de Assistência à Criança da Prefeitura de Madrid. “Alguns perderam seus pais ou irmãos, e queremos que eles vivam aquela infância que não foram capazes de a viver”. Essa supervisão também vem de instituições relacionadas à Igreja, como a ‘Luz Casanova Foundation’, que atende principalmente crianças que sofrem violência em suas casas. «Todas as crianças são conhecidas e suas famílias colaboram em questões de disciplina e convivência». A disciplina precisamente é um dos valores em que esta escola insiste mais do que, consciente de sua riqueza cultural, considera fundamental respeitar as regras para que a troca de ideias entre seus alunos seja real.

Como consequência desse ambiente pacífico, e embora a maioria dos estudantes venha da periferia de Madrid, há quem “prefira pegar ônibus e trens e frequentar esta escola porque há uma atmosfera de tolerância e acolhimento”. Algo que contribui para a experiência de seus pais, que frequentemente cursaram a escola no curso para adultos do centro e, em 2005, ganharam o Primeiro Prêmio Nacional de Compensação Educacional. «A escola é um centro de referência no bairro».

Evangelizar com o exemplo

A escola Santa Isabel é uma escola católica e, portanto, ensina religião. Algo que, na experiência de Ir. Carmen Benavides, os pais aceitam independentemente de suas crenças. Mas, além dos livros, na opinião do diretor, a principal evangelização ocorre pelo exemplo. «Sou filha da Caridade há 40 anos e sirvo a Cristo nos pobres, como São Vicente de Paulo nos pediu, é a única coisa que me interessa».

Ir Benavides, quem está convencida de que «Cristo está em cada criança», ela argumenta que “toda vez que luto para que seus direitos sejam respeitados, estou vivendo o Evangelho”. “O mais importante é que elas se sintam amados, por isso transmitiremos o amor de Deus”, conclui.

Rodrigo Moreno Quicios
Data de Publicação: 09 de Janeiro de 2020

Views: 1.530