Alguns dias na ONU – Genebra

severaldays.1[ONU-ONG] O Conselho dos Direitos Humanos realizou um Fórum sobre as Minorias nos dias 26 e 27 de novembro de 2013. O tema foi: “Além da liberdade religiosa ou de convicção, garantir os direitos das minorias religiosas”. Neste contexto, a OIDEL (Organização Internacional para o Direito à Educação e à Liberdade de Ensino) organizou um “evento paralelo” sobre a “Promoção das Identidades Religiosas e a Coesão Social”.

A Comissão de Educação das Filhas da Caridade do Líbano (estrutura de formação permanente dos professores, de informação, animação e representatividade) foi convidada para dar um testemunho. Nossa comunicação tinha como foco a “educação para a vida com o outro que tem uma religião diferente” e as instituições educacionais da Companhia neste país.

Começamos apresentando a localização geográfica de nossas instituições (18) e o seu efetivo escolar (12.652 alunos). Diante da constatação da grande maioria muçulmana em algumas instituições, nós explicamos como a educação para a vida com o outro que é diferente os prepara para a vida adulta.

1. Nas 3 instituições atingidas por esta realidade (Ras-Beirute 93,9% – Mreiji 99,8 % – Rmeileh 85,4 %) a formação da cultura religiosa é feita através:

  • do conhecimento do sentido das festas próprias das duas religiões (murais nas salas e decoração da escola, sobretudo no Natal). Estas atividades são feitas por todos os alunos;
  • os cristãos têm catequese de manhã, às 07h, antes do começo das aulas e, nas sextas-feiras, as aulas terminam às 13h30 ao invés de 14h30 para permitir aos muçulmanos irem rezar em suas mesquitas;
  • o projeto da instituição especifica bem o aspecto mais importante para os alunos: a convivência entre os alunos com vinculações religiosas e políticas diferentes.

2. Os aspectos comuns no projeto vicentino:

  • nas 3 instituições há uma obra, « Resto du Coeur », que oferece almoço gratuito às pessoas idosas e é ajudada pelos alunos através de doações;
  • os alunos, de todos os grupos, oferecem alimento aos mais necessitados por ocasião do Natal.

3. As amizades entre ex-alunos existem em quase todas as nossas instituições. A instituição de Ras-Beirute (com 93,9% de muçulmanos) tem atividades variadas:

  • um jantar juntos durante o jejum do Ramadã;
  • projetos de ajuda educacional;
  • uma rede de comunicação entre os ex-alunos no exterior;
  • ex-alunos que dão testemunhos de sua vida universitária e profissional aos alunos das turmas de ensino médio (15-17 anos); isto ajuda na orientação profissional dos jovens;
  • outros dão testemunho de sua vida familiar.

E a partir desta amizade foi fundada a ONG « Ofereça Alegria » que reúne jovens cristãos e muçulmanos que intervêm para reparar os estragos nos bairros atingidos por atentados.

Enfim, o fato de 60% de nossos ex-alunos matricularem seus filhos em nossas instituições prova que eles apreciam este ambiente educativo. Eles dizem que nossa educação respeita suas próprias convicções religiosas e filosóficas e oferece aos seus filhos, justamente, este viver juntos diferente! O desenho dos gêmeos (foto), alunos em Ras-Beirute, confirma uma parte do que falamos.

Gostamos de poder partilhar nossa experiência, mas, sobretudo, medimos, por este Fórum, o sofrimento daqueles que são maltratados porque pertencem a uma minoria religiosa ou ética ou porque suas convicções filosóficas não são respeitadas. O Fórum, que foi acompanhado por um grande número de pessoas vindas de todos os cantos do mundo, permitiu a cada um se expressar e falar sobre o seu sofrimento. Esperamos que seu sofrimento seja escutado pelas autoridades da ONU; ele ressoou em nossos corações e estará na oração de nossas duas comunidades de Genebra reunidas para o Triduum de 2013. Que o Senhor nos ajude a sermos testemunhas de seu amor universal sem nenhuma distinção de raça ou de crença.

Irmã Marcelle Karam de Beyrouth e Irmã Monique Javouhey, de Genebra.

 severaldays.2  severaldays.3
Views: 2.037