Irmãs acima de 40 anos de vocação

session.40years[Casa Mãe] Paris 5-19 de maio de 2014: Aleluia, Cristo ressuscitou!  Ainda envolvidas nos ecos da Páscoa, ser chamada à Casa Mãe, neste ponto de nossas vidas (mais de 40 anos de vocação),  é um imenso dom que provoca alegria e gratidão imensas. Parar, reler nossa vida, mergulhar no coração e nas raízes da Companhia, renovar o entusiasmo de nosso primeiro SIM, estar aberta e permitir que o Espírito nos transforme; tudo isso nos leva a cantar: “O Senhor fez por nós maravilhas e estamos felizes”.

Felizes porque, mais uma vez e com maior intensidade, nós percebemos a grandeza da Companhia e sua:

  • Universalidade
  • Unidade na diversidade
  • Riqueza na partilha de experiências vividas em nossa jornada, através do caminho que Deus, com amor, traçou para cada uma de nós.

Nós estamos muito agradecidas porque sabemos que, em todos os estágios da vida, é necessário aprofundar o chamado do Senhor e nós tivemos a ajuda de pessoas especialistas e experientes que nos aproximaram daqueles que devem ser nossos modelos:

  • Santa Luísa, mulher, discípula, colaboradora, formadora, fundadora e mulher.
  • São Vicente, um homem transformado, numa ascensão lenta ao cume, que, um dia, decidiu tomar a resolução firme e inviolável de honrar ainda mais Jesus Cristo e dar toda a sua vida ao serviço dos pobres.

Eles nos convidaram a viver este tempo como um tempo:

  • exemplar
  • para aprofundar nossa fidelidade
  • para o serviço humilde e escondido
  • de fé simples
  • de verdadeira pobreza
  • para vigília e preparação pascal

E nos encorajaram a “envelhecer sem ficar velha”, a viver em paz e a confiar em Deus. Conhecendo, progressivamente, nossas limitações nós podemos viver esta idade brilhantemente porque “Alguém espera por nós”. 

Nós apreciamos e contemplamos os tesouros contidos nos Arquivos que nos permitem conhecer melhor as origens da Companhia e a jornada de nossas primeiras Irmãs, que nos encorajam a continuar fielmente.

Nós agradecemos a Irmã Evelyne que nos lembrou a necessidade de viver a vida fraterna como um dom e uma tarefa; ao Pe. Gregory, nosso Superior Geral, que, com sua ampla visão da Companhia e sua capacidade de diálogo, deu sugestões às nossas preocupações. Agradecemos o Pe. Bernard, nosso Diretor Geral, por seu acompanhamento constante e comunicação simples e profunda de suas experiências e também ao Pe. Patrick que, como sabemos, gostaria de ter estado conosco; nós sentimos sua presença e lhe enviamos nossa saudação afetuosa.

E, claro, nós agradecemos à equipe de coordenação e ao grupo de tradutoras por seu permanente serviço e sua acolhida carinhosa, assim como a todas aquelas que, sem serem vistas, fizeram com que nos sentíssemos em casa e felizes. Obrigada, obrigada, obrigada!

Views: 1.829