“O Senhor tem sido óptimo conosco e estamos Felizes ”

[Província de Santa Luísa – Madrid] Em 19 de Agosto, iniciou nossa peregrinação “Seguindo os passos de Vicente,” um grupo de Irmãs da Província, acompanhado por Ir. Antónia, Visitadora, Padre Joaquin, Diretor e Ir. Rocío, Conselheira. Ir. Ascensión Larrad, Irmã Servente da Associação Hispano-Americana de São Fernando em Neuilly-sur-Seine, estava esperando por nós no aeroporto. A recepção simples e calorosa fez com que nos sentíssemos em casa. As Irmãs nos apresentaram os diferentes serviços confiados: Acolher, acompanhar e cuidar da vida: visitas à prisão e em casa, residência estudantil, centro de saúde bilíngue aberto a todos os tipos de pessoas, projeto das jovens grávidas … A alegria de seus rostos e Seu ánimo ao explicar-nos revelava a manifestação de entrega generosa a Deus nos pobres.Terminamos a manhã com a celebração da Eucaristia que nos ajudou a continuar na presença do Senhor. À tarde, fuga rápida para o centro de Paris e visita a alguns de seus monumentos mais significativos.

No dia seguinte, Na Casa Mãe, Ir. Magdalena, irmã responsável pelos arquivos, nos esperou, amostrou e explicou: As cartas, as atas, os objetos e lembranças originais, desde o início da Companhia até hoje. Tudo nos convidava a fazer uma leitura aprofundada do que São Vicente e Santa Luísa estavam descobrindo como vontade do Espírito, introduzindo-nos no desejo derenovação vocacional a partir do estágio em que cada uma se encontra.

A Eucaristia na capela das aparições a Ir. Kathleen, Superiora Geral, teve o detalhe precioso de se juntar a nós durante a Eucaristia. Agradecemos este show de delicadeza. Ir. Carmen Briones, Secretária, explicou-nos os diferentes aposentos da Casa Mãe, após o que nos unimos à Comunidade e fiéis para a oração das Vésperas.

Terceiro dia: Caminho Vicentino pelos principais locais do início da Companhia. Cada canto nos levou a uma cena do nascimento e desenvolvimento de nossa história, investigando o que isto implicava na formação do nosso ser de  Filhas da Caridade. À tarde, fizemos uma peregrinação a Clichy, onde São Vicente era Pároco muito feliz. Depois visitamos o templo nacional do Sagrado Coração, local de oração.

No 4º dia, passamos algumas horas em Taizé. Lá, oramos e comemos com os milhares de jovens presentes. Os jovens voluntários realizavam as tarefas para uma boa organização e operação: limpeza de espaços, preparação e entrega de alimentos, preparação da liturgia…Eles nos ensinaram que existe outra maneira de viver o essencial, com mais austeridade.

Viagem para Fain-les-Moutiers, local de nascimento de Santa Catarina. Recepção calorosa das Irmãs. A Eucaristia na pequena capela onde agradecemos a Deus por tudo o que recebemos durante o dia. No dia seguinte, peregrinação, rezando o rosário, para Moutiers-Saint Jean. Cada canto da casa da família de Santa Catarina despertou em nós um significado diferente, que poderíamos compartilhar na Eucaristia através dos objetos presentes: o berço, a imagem da Virgem na lareira, os baldes para carregar a água, os tamancos de madeira da família … Simplicidade, trabalho duro, sacrifício, piedade, confiança em Deus, atitudes que forjaram o caráter e a abertura a Deus que Santa Catarina demonstrou e que serviu para ser favorecida com a visita da Virgem da medalha. Fain-les-Moutiers, significa revitalizar em nossas vidas as virtudes da Filha da Caridade.

Quinto dia na catedral de Chartres, lembramos a peregrinação de Santa Luísa. Eucaristia na cripta, renovando a oferta da Companhia que nosso Fundador fez na época. Entrada em Procissão, levando velas e cantando para o Dono da nossa vida:”Nas trevas, acenda a chama do seu amor, Senhor”. Lá colocamos toda a Companhia de volta aos pés de Maria, lembrando as Assembleias que começaremos em breve, para que, sob sua orientação, seja um verdadeiro passo do Espírito e um fortalecimento da fidelidade da “pequena Companhia”.

Último dia Eucaristia em São Lázaro, onde repousa o corpo de São Vicente. Houve uma celebração de envio, na qual nos sentimos questionados pelas palavras que São Vicente dirigiu a Santa Luísa “Ide, Mademoiselle …” Colocamos cada um de nossos nomes após essa frase e nos sentimos enviados à tarefa que Deus nos pediu. Bernard Schoepfer, Diretor Geral, com sua grande simplicidade e bondade, teve a delicadeza de vir nos receber.

E, com o coração ardendo de amor a todos os homens, e especialmente pelos mais pobres, que num dado momento apaixonaram a Santa Luísa e São Vicente, retornamos a Madrid. Agradecemos a Deus, ao Conselho Provincial, Irmã Ascensão Larrad, que tão delicadamente preparou o itinerário, à Comunidade de Neuilly e a todas as Irmãs que tornaram possível esse imenso presente de peregrinação às raízes de nossa Companhia e voltamos com esse sentimento. “O Senhor tem sido óptimo conosco e somos felizes.”

Que a experiência vivida nos dias de hoje nos ajude a ser melhores servos de Deus, dos pobres e da Companhia!

Irmã Participante

Views: 494