O espírito Vicentino: do passado aos dias atuais

The Vincentian Spirit_2015.06_2[Província San Vincenzo – Itália] – No dia 13 de maio de 2015, na presença das autoridades civis e eclesiásticas, Ir. Luisa Cirulli deu um testemunho no IRCCS (Istituti di Ricovero e Cura a Carattere Scientifico) sobre a presença das Filhas da Caridade há 30 anos no Hospital Pediátrico Menino Jesus.

“Agradeço a todos, especialmente, à nossa presidente, Mariella Enoc. Fiquei emocionada porque ela me deu a oportunidade de lembrar, nesta ocasião, a presença das Filhas da Caridade no Hospital Pediátrico Menino Jesus. A Companhia das Filhas da Caridade foi fundada em 1633, em Paris, graças a criatividade de Santa Luísa de Marillac e São Vicente de Paulo, nossos Fundadores, com o carisma do serviço corporal e espiritual de Cristo nos pobres.

O encontro com a família Salviatti, em 1869, tornou possível aos Superiores das Filhas da Caridade daquela época iniciar o serviço através do trabalho de 4 Irmãs. O serviço nos permitiu lançar as bases da organização do Hospital, regulada pelas convenções, servir e dirigir toda a instituição.

A instituição continuou a crescer, tornando-se um ponto de referência para muitas crianças necessitadas de cuidados. As Irmãs também aumentaram em número e vigiavam atentamente as necessidades emergentes no hospital. É o nosso carisma que nos impulsiona a descobrir e, então, estar a serviço de toda pobreza.

Desde o começo, as prioridades escolhidas pelas Filhas da Caridade no Hospital Pediátrico Menino Jesus foram oferecer cuidado seguro e humanizado e concentrar-se na formação. Com a abertura da Escola de Enfermagem, em 1958, as Filhas da Caridade tentaram, e ainda tentam, apesar de sua fragilidade, formar muitos jovens. Elas veem e desenvolvem neles seu potencial humano, cristão e profissional, transmitindo-lhes o verdadeiro sentido do serviço. A formação está no DNA da Companhia. Em 1633, Santa Luísa deu às primeiras Irmãs as noções fundamentais de enfermagem e conhecimento médico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje, conscientes de nosso papel e impulsionadas pelo amor de Cristo, nós usamos recursos essenciais quando formamos trabalhadores que tenham uma atenção global à pessoa em questões de cuidados humanizados, através da criação de relações de ajuda, do encorajamento do sentido de pertença e da promoção da partilha de objetivos.

As etapas para a implementação destes objetivos são: a identificação dos pontos fortes e fracos das várias áreas do hospital a fim de que aconteça um intercâmbio não apenas em nível profissional, que já existe, mas também em nível espiritual; estabelecimento de objetivos comuns, a fim de evitar o desperdício de recursos e alcançar resultados; implementação de iniciativas concretas.

A evolução do tempo nos permitiu expandir e refinar o foco nos problemas complexos da vida das pessoas em nossa realidade, onde elas vivem momentos de doença, deficiência e morte. Nosso diferencial profissional e espiritual nos permite cuidar da pessoa, respeitando a vida, a saúde e a liberdade da pessoa através da intervenção terapêutica, da exploração dos recursos do paciente e da família e também o total respeito dos valores da criança doente.

A fonte onde encontramos força para ser o “próximo” dos que estão em necessidade é a profundidade do mistério cristão do “Cristo crucificado, morto e ressuscitado”. Vivendo este mistério, nós nos tornamos uma “nova criação”, portadores de esperança, paz e amor e nos tornamos um dom para o outro”.

Ir. Luisa Cirulli, FC

Views: 2.561