VAREF reflete sobre a « Geração Digital »

Congresso e Assembleia Geral dos Diretores da rede VAREF, 30 de janeiro – 1º de fevereiro de 2013

[França] Os diretores das escolas vicentinas se reuniram em Bordeaux, na Escola São Vicente de Paulo, rua des Sablières, próxima da praça Victoire.

Um curso para conhecer melhor a « nova geração digital” animou a reflexão das 115 pessoas (diretores, assistentes de administração e coordenação de pastoral) interessados em levantar os desafios da transmissão do conhecimento aos jovens que eles têm a missão de preparar para entrar na sociedade.

Dois especialistas:

  • Um Cientista Social da Universidade Victor Ségalen, em Bordeaux 2, especialista em comportamento juvenil diante da tecnologia digital;
  • Um Neurocientista da Universidade de Inserm, de Lyon, veio partilhar como as descobertas recentes permitem diferentes aproximações dos comportamentos inadequados ao contexto escolar.

 O Sr. Zaffran, imediatamente, apresentou o contexto nos descrevendo como mutantes digitais numa cultura jovem de nativos digitais. A aprendizagem de uma nova linguagem da cultura juvenil não é nada mais que uma adaptação suplementar como aquelas que fazemos quando mudamos de região, constatando a mudança das expressões da linguagem corrente.

É claro que a comunicação digital faz passar de uma comunicação simples a uma comunicação multidirecional e multimídia (foto, texto, música, vídeos) que privilegiam o acesso direto em detrimento da transmissão geracional (do idoso para o jovem). O acesso às informações é imediato, o que provoca a necessidade de uma aproximação não mais centrada na avaliação moral, mas na aprendizagem da triagem do material em nossa posse.

O adulto deve, neste novo contexto, encontrar seu lugar: transmissor de saberes, corrimão para ajudar o jovem a encontrar seu caminho no labirinto de produções de materiais de informação. Evitemos praticar o rapto da juventude (tentando se apropriar de seus espaços de comunicação). Passemos de um olhar receoso diante do digital a uma aproximação dinâmica para que ele sirva à construção da personalidade na nova era da comunicação contemporânea.

O Sr. Lachaux, diretor de pesquisa na Universidade de Inserm nos deixou preocupados com a influência das novas técnicas de comunicação sobre os modos de relação e de atenção. Esta análise dos mecanismos ativados no cérebro no momento da execução de tarefas que vão permitir compreender, por exemplo, que a atenção, antes de ser um imperativo moral, é um circuito de funcionamento cerebral que recebendo uma informação a transmite para a área afetada. Uma vez transmitida, depois decodificada pela área do cérebro habilitada a traduzi-la, ela vai transmiti-la ao sistema motor ou sensorial para produzir a atividade cerebral necessária à atenção ou à memorização.

Os dois especialistas mostraram como a atenção aos meios de comunicação diz respeito à construção da pessoa e que é preciso ajudar a fim de que as novas técnicas digitais tragam sempre mais humanidade. “É preciso humanizar a técnica… Mère Guillemin ». Esta é uma bela tarefa com a qual todas as equipes pedagógicas se confrontam.

À noite, os delegados realizaram o paciente trabalho de reescrever o estatuto da educação católica e o Padre Alvaro fará a ligação com São Vicente, um homem de relação.

Irmã Monique Giraud, FC

     

 

Views: 1.856