Somos, Compartilhamos e Transmitimos

6_800x600[Província de Santa Luísa – Madri] Os participantes do Encontro Interprovincial de Ação Social das Filhas Caridade chegaram à Santa Marta de Tormes (Salamanca) na quinta-feira, dia 6 de junho. O grupo era formado por Irmãs e colaboradores leigos que compartilham nosso serviço aos mais pobres, crianças de lugares ou famílias desestruturadas ou de imigrantes, moradores de rua, etc. para refletir sobre o tema: “Somos, Compartilhamos e Transmitimos a partir do Interior”.

Nesta segunda etapa, nós éramos 150 pessoas. Compartilhamos momentos formativos, vivenciais, celebrativos, litúrgicos e, sobretudo, familiares porque nesta casa vicentina estamos em família.

Era preciso preparar o corpo e o espírito para trabalhar a interioridade, elemento fundamental do curso. Com Pepe partimos da experiência dos diferentes modelos antropológicos para discernir o verdadeiro sentido de nosso caminho na vida, para saber diferenciar pecado e culpa e aprofundar o sentido de alteridade e interioridade: o silêncio como caminho para a meditação e a transcendência.

No sábado continuamos o trabalho com a presença de José Manuel, que começou com os conceitos de U-topia e Eu-topia em contraposição à Distopia. No início, pessoas como Tomas More, Sarmina Bilcescu, Martin Luther King, Vicente de Paulo e Luísa de Marillac foram usadas para iniciarmos o tema. A partir daí passamos para o carisma vicentino e a experiência vital de Vicente de Paulo destacando três aspectos vitais que marcaram sua vida: a opção pelos pobres, a confiança na Divina Providência e uma profunda experiência de conversão. Após o almoço, Patri e Auxi nos apresentaram a experiência de Miguel de Mañara, em Sevilha (um centro caracterizado pela humanidade e trabalho em equipe). Em seguida, José Manuel voltou e nos ajudou a traduzir para o século XXI as 5 pedras de Davi que tanto marcaram São Vicente e cuja proposta de adaptação à linguagem atual foi a seguinte:

SIMPLICIDADE → AUSTERIDADE

HUMILDADE → EQUILÍBRIO

MORTIFICAÇÃO → TREINAMENTO

MANSIDÃO → INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

ZELO → ENTUSIASMO

Como conclusão deste dia ficou para nós a reflexão de que aplicar e viver a eu-topia supõe um preço muito alto e causa desgaste e sofrimento, mas vale a pena.

No domingo, Carlos nos introduziu na experiência de buscar um ponto de apoio que nos sustente e o caminho para descobri-lo. Partindo da análise do EU para chegar ao OUTRO, a EQUIPE e a ORGANIZAÇÃO. Quando alguém aprende a se conhecer está preparado para DANÇAR com o outro, quer dizer, para se COMUNICAR. A ideia do conflito perdeu um pouco do seu mistério neste dia.

Encerramos o encontro às 19h30 e começamos as despedidas. Levamos conosco muitas experiências vividas, aprendidas, partilhadas e interiorizadas. Seremos capazes de trabalhar como um GRUPO, mas preferiremos trabalhar como uma EQUIPE.

 4_800x600  8_800x600  9_800x600

 

 

Views: 968