Dia Mundial da assistência Humanitária 19 de agosto de 2016

UN flag 320[ONU – Genebra] Este ano, o Dia Mundial da assistência Humanitária centrou-se sobre o papel importante da juventude. O debate recente para a ajuda humanitária (Istambul, maio de 2016) mostrou a ação efetiva dos jovens, especialmente se eles são encorajados a tornarem-se dirigentes para a vida da sua comunidade.

Estes são os pensamentos de vários jovens que animaram a primeira parte da reunião:

160924 UN 2

160924 UN 2

∞ Azor, uma jovem médica da Arábia Saudita que chegou à Grécia para trabalhar. Após a aterragem do voo , chamamos uma pessoa que falava  árabe de emergência para guiar um barco que tinha chegado em uma direção errada. Graças à sua palavra, 65 refugiados foram resgatados nesse dia.

∞ Maria, estudante Suíça, de Valais, que aos  19 anos deixou a Roménia com “Point Coeur” para compartilhar a  sua vida com os pobres numa favela. Em seguida, foi ao Líbano,em seguida ao Iraque com os Kizidies. Ela ficou comovida depois de um dia longo de distribuição, uma menina permaneceu com ela todo o tempo, tomou sua mão, segurando-a durante alguns minutos. Maria descobriu a importância de dar e partilhar, mas para dar mais de si mesma.

∞ Nan Buzard,  do Conselho de Agências  de Voluntários, que apoiam os compromissos de Istambu para envolver e proteger os jovens porque eles não estão suficientemente protegidos.

∞ Kerstin Magdalena da Polônia, trabalhou com a Cruz Vermelha Internacional em vários países. Ela descobriu a importância da participação da juventude em atividades humanitárias e  como tais experiências moldaram seus valores. Ela acredita que os jovens estão prontos para agir e são generosos para fazer

 Jorge, de Perú é um  universitário que procurava maneiras de  ajudar os outros. Foi assim que se juntou a uma equipe de bombeiros voluntários. Em 2007, depois  do terremoto no Haiti, que causou tantos mortos e feridos, ele participou do resgate. A chegada de bombeiros de todo o mundo para ajudar as pessoas que nem sequer conhecia, foi inspirado a fazer o mesmo e reforçou o seu compromisso como um bombeiro permanente.

E, finalmente, Filippo Grandi, o novo Alto Comissário  da ONU para os Refugiados, e Stefan de Mitsura, enviado especial para a Síria, que deram o seu testemunho. Ambos eram jovens voluntários e suas primeiras experiências foram cruciais para orientar o seu envolvimento com a ONU.

Após a reunião que reuniu milhares de pessoas, houve um minuto de silêncio e lembrança para os voluntários últimos assassinados. Algumas bebidas  para refrescar foram  bem-vindas nesta época de calor.

Em Genebra, 3 de setembro de 2016
Irmã Monique Javouhey, FC

160924 UN 1

 Para maiores informações sobre as Filhas da Caridade na ONU: www.cmdcngo.org

Views: 1.354