loader image

Bem-aventurada Marta Wiecka

Irmã Marta Wiecka tinha apenas trinta anos quando morreu. Mas neste curto espaço de tempo ela alcançou grande santidade. Toda a sua vida de Filha da Caridade foi dedicada a Deus, servindo os doentes e sofredores, no espírito vicentino de humildade, simplicidade e caridade.

1874, 12 de janeiroNascimento  em Nowy Wiec, Polônia
1892, 12 de agostoTorna-se Filha da Caridade
1893, 21 de abrilEnviada em missãoLviv
1897, 15 de agostoEmite os votos pela primeira vez
1904, 30 de maioMorte em Sniatyn
2008, 24 de maioBeatificação em Lviv
30 de maioDia de sua festa

Marta Wiecka nasceu em 12 de janeiro de 1874, em Nowy Wiec, na Polônia. Ela era a terceira dos treze filhos. Seu pai era um rico fazendeiro.
Desde 1772 uma grande parte da Polônia estava dividida e ocupada por vários poderosos estados vizinhos. A região onde a família Wiecka vivia estava sob o controle da Prússia, que tentava acabar com a identidade nacional e católica da Polônia através de um programa de Kulturkampf (luta pela cultura). Apesar disso, a família Wiecka, como muitas outras, era profundamente católica e polonesa.

Quando Marta tinha dois anos de idade, ficou muito doente. Depois da intervenção médica ter falhado, seus pais voltaram-se para Maria intercedendo por sua pequena Marta. Milagrosamente, ela foi curada. Durante toda a sua vida, Marta teve um grande amor pela Mãe Santíssima e frequentemente lhe pedia ajuda.


Em sua infância, Marta ajudava alegremente sua mãe nas tarefas domésticas. A família e os amigos sabiam que ela era uma ardorosa admiradora de São João Nepomuceno, pois frequentemente, eles a viam de pé, imersa na oração, em frente à capelinha dedicada ao Santo.


Em 3 de outubro de 1866, Marta fez sua Primeira Eucaristia. A partir deste momento, Jesus tornou-se o centro de sua vida. Ela não hesitava andar doze quilômetros para ir à Igreja paroquial, em Skarszewy, sempre que tinha a oportunidade de participar da missa.


Aos dezoito anos, junto com sua amiga, Monika Gdaniec, Marta deixou sua amada família para começar sua vida como Filha da Caridade. Como o governo prussiano restringia o número de aspirantes na cidade mais próxima, Chelmo, Marta decidiu aproximar-se das Filhas da Caridade em Cracóvia, para não deixar Monika sozinha.


Em 26 de abril de 1892, elas foram aceitas como postulantes na Casa Provincial de Cracóvia. A etapa seguinte da formação de Marta começou poucos meses depois, em 12 de agosto, quando ela entrou no Seminário (noviciado).


Em 21 de abril de 1893, Irmã Marta foi enviada à sua primeira missão em Lviv, onde rapidamente ficou conhecida como uma Irmã que amava seus pacientes e servia-os com grande dedicação. Um ano e meio mais tarde, em 15 de novembro de 1894, ela foi enviada para o hospital de Podhajce.
Irmã Marta fez seus votos pela primeira vez como Filha da Caridade em 15 de agosto de 1897, selando assim, seu compromisso de servir a Deus na pessoa dos mais pobres.


Em 1899, Irmã Marta foi enviada para a casa das Filhas da Caridade em Bochnia. Nesta época, ela teve uma visão de Nosso Senhor na cruz. Ele encorajou-a a suportar com paciência as adversidades e prometeu que ela o encontraria em breve.


A adversidade prevista apareceu pouco tempo depois da visão de Nosso Senhor. Um homem desequilibrado, recentemente liberado do hospital onde Irmã Marta trabalhava, começou a dizer para as pessoas que ela estava grávida. Irmã Marta suportou este insulto com serena paciência confiando inteiramente em Deus.


Depois que o problema em Bochnia terminou e Irmã Marta inocentada, foi enviada para servir no hospital na cidade de Sniatyn. Tinha um dom especial para ajudar as pessoas a se reconciliarem com Deus. Em seu setor, ninguém morria sem ter recebido primeiro o Sacramento da reconciliação. Para Irmã Marta todos os pacientes eram igualmente importantes; não estabelecia distinção entre poloneses, ucranianos, judeus, ortodoxos ou católicos.
Durante uma epidemia de tifo, um jovem, que era enfermeiro e pai, recebeu a perigosa tarefa de desinfetar o quarto de um doente com tifo. Vendo o medo desse homem por ele mesmo e sua família, Irmã Marta ofereceu-se para fazer o trabalho em seu lugar. Esta generosidade lhe custou a vida. Ela contraiu tifo e morreu em 30 de maio de 1904, em Sniatyn.

Para saber mais sobre Irmã Marta visite o site: www.martawiecka.pl